Quem serão os pilotos da Audi na temporada 2020 do DTM?

Essa é a pergunta que estão fazendo no paddock da categoria alemã depois do domínio da montadora no campeonato recém-terminado, com 12 vitórias nas 18 corridas realizadas e com os quatro dos cinco primeiros colocados na tabela de pontos.

Até agora, já se sabe que René Rast, campeão deste ano, está confirmado e vai em busca do tri.

Quem também já assinou com a Audi para 2020 é o suíço Nico Müller, vice deste ano. O único problema para ele é que, por enquanto, há um choque de datas entre a etapa de Nova York da Formula E e de Norisring do DTM. Como o piloto participa de ambos os campeonatos, será obrigado a dar prioridade a um dos certames e ficar de fora do outro.

Jamie Green, trazido pela Audi da Mercedes em 2013, também está confirmado para a próxima temporada.

Restam, assim, três vagas em aberto no DTM 2020: as que foram de Loïc Duval, Robin Frijns e Mike Rockenfeller.

Segundo o site TouringCar Times, além de poder manter o trio, a Audi negocia com três pilotos: Robert Kubica, que já anunciou a saída da Williams na F1, Pechito López, tricampeão do WTCC, e Jonathan Aberdein, novato neste ano e que impressionou competindo pela WRT, equipe satélite da montadora.

Isso sem falar em Jenson Button, que anunciou durante o fim de semana estar de saída do Super GT, do Japão, e o DTM pode ser, sim, um dos destinos para ele – apesar de não ter revelado se está negociando com alguma montadora.

E Pietro Fittipaldi no DTM?

Aí é que está a má notícia para Pietro Fittipaldi. Também competindo pela WRT, time cliente da Audi, ele acaba de terminar seu primeiro ano completo na principal categoria do automobilismo alemão e não está sendo especulado nas vagas das equipes que contam com apoio – e dinheiro – de fábrica.

Lembrando que o brasileiro disputou a etapa de Misano neste ano por uma das equipes com apoio direto da montadora e foi quando conquistou, justamente, seu melhor resultado no ano – o quinto lugar.

Na comparação com Aberdein, seu companheiro de WRT, Fittipaldi começou 2019 melhor, tendo pontuado logo na primeira prova do ano, em Hockenheimring, mas aos poucos foi levando a virada. No fim, o sul-africano largou quatro vezes entre os três primeiros (Fittipaldi nenhuma), teve dois quartos lugares como melhor resultado (o brasileiro no máximo foi quinto) e somou 67 pontos, diante de 22 do neto de Emerson, mais que o triplo.

Fora que a Haas, onde Fittipaldi é piloto de testes, já acertou a renovação de contrato de Romain Grosjean como companheiro de Kevin Magnussen na temporada 2020 da F1, fechando a porta para o brasileiro.

Assim, caso o brasileiro queira permanecer no DTM em 2020, sua maior chance seria renovar com a WRT e ter equipamento satélite da Audi por mais uma temporada. Outra opção seria tentar mudar de montadora, mas a BMW já indicou que planeja diminuir o dinheiro que gasta com o certame a partir do ano que vem, enquanto a Aston Martin, que entrou às pressas na categorias em 2019, ainda não é competitiva.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da última etapa do DTM 2019, em Hockenheimring (quando os carros do Super GT também correram), assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

foto do topo: michael kunkel/audi/divulgação

foto da Audi no DTM
Os seis carros da Audi são os mais cobiçados para a temporada 2020 do DTM – foto: andre benz/audi/divulgação