foto dos carros da F1

Mercado de pilotos da F1 2020

Acontece todos os anos. Basta a F1 ir para as férias de verão, período sem corridas no mês de agosto, que começam boatos, negociações, rumores e manobras para a formação do grid da próxima temporada.

Veja abaixo como as equipes com motor Mercedes e Renault estão se preparando para alinhar na F1 2020.

Para não deixar este texto muito longo, dividi as dez escudeiras da principal categoria do automobilismo mundial em duas partes. A primeira é esta. E você pode clicar aqui para ler a segunda parte, falando das movimentações dos times com equipamento Ferrari e Honda.


MERCEDES
2019 – Lewis Hamilton e Valtteri Bottas
2020 – Lewis Hamilton, Valtteri Bottas (?), Esteban Ocon (?), George Russell (?), Max Verstappen (?)

Enquanto Lewis Hamilton tem contrato assinado com a Mercedes até o fim da temporada 2020 da F1, ainda está indefinido quem será seu companheiro no próximo ano. E essa é a principal dúvida do mercado de pilotos da principal categoria do automobilismo mundial, uma vez que várias outras equipes estão esperando a escolha da Mercedes para definirem suas duplas.

Valtteri Bottas, que pilotou para o time nas últimas três temporadas, só tem vínculo até o fim de 2019. O finlandês até começou a temporada em alta, com vitórias no GP da Austrália, logo na abertura do campeonato, e no Azerbaijão. Mas caiu de rendimento nas últimas corridas, tendo batido no GP da Alemanha e se envolvido em toques com Hamilton e com Charles Leclerc, da Ferrari, logo na primeira volta do GP da Hungria, o que comprometeu seu resultado final.

Caso Bottas não fique na Mercedes, o principal candidato a substituí-lo é Esteban Ocon. Hoje o francês é reserva da escuderia e até o ano passado estava na Force India, mas ficou sem vaga com a venda da esquadra para a família de Lance Stroll. Aliás, recentemente Ocon mudou sua descrição nas redes sociais de “reserva da Mercedes” para “piloto da F1”, sugerindo que já assinou contrato com alguma escuderia para a F1 2020.

George Russell, piloto em desenvolvimento da Mercedes e atual titular da Williams, corre por fora para a vaga, mas a tendência é que ele continue na esquadra inglesa.

Atual titular da Red Bull, Max Verstappen já foi especulado na vaga da Mercedes, pois em seu contrato há cláusulas que o liberam caso a escuderia austríaca não cumpra algumas metas de resultado estabelecidas no vínculo. Segundo a imprensa britânica, uma das metas seria a segunda colocação no Mundial de Construtores. Mas não espere mudanças aqui. Em boa fase, com vitórias em duas das últimas quatro etapas, o holandês deve mesmo permanecer na Red Bull, até porque Hamilton, neste momento de perseguição aos recordes de títulos e de vitórias de Michael Schumacher, não iria querer dividir as atenções da Mercedes com outra estrela.


RACING POINT
2019: Sergio Pérez e Lance Stroll
2019: Lance Stroll (?), Sergio Pérez (?), Nikita Mazepin (?)

O que 12 meses não mudam na vida de uma equipe? Neste exato momento, na última temporada, a Force India tinha entrado em administração (equivalente à recuperação judicial aqui no Brasil) e podia fechar as portas. Durante as férias de verão de 2018, a esquadra foi adquirida pelo empresário canadense Lawrence Stroll, pai do piloto Lance Stroll, que garantiu sua permanência na F1.

Para este ano, Stroll filho deixou a Williams e assinou com o time do pai. Apesar de não estar oficialmente confirmado para 2020, ele deve ser anunciado a qualquer momento no time do pai, ainda mais após o bom desempenho no GP da Alemanha, quando quase terminou no pódio.

Sergio Pérez tem grandes chances de permanecer como seu companheiro de equipe. Em outros anos, o mexicano negociou com Ferrari, Renault e Haas, mas dessa vez ele vem encontrando a porta fechada em outros times. Ainda mais pelo fraco desempenho mostrado até agora em 2019, tendo somado apenas 13 pontos na atual temporada e enfrentando um jejum de oito corridas longe da zona de pontos.

Atual piloto da F2, Nikita Mazepin nem sequer tem a superlicença, documento obrigatório para correr na F1, mas é especulado no time, pois seu pai, um empresário russo, questiona na Justiça a venda da Force India para a família Stroll, dizendo que tinha feito uma proposta maior pela esquadra, mas que foi ignorada pelos administradores da época.

Caso o pai de Mazepin vença o processo na Justiça (o que é pouco provável), a tendência é que o filho seja contratado para a vaga de Stroll. Mas essa é uma possibilidade para lá de remota.


WILLIAMS
2019: George Russell e Robert Kubica
2019: Robert Kubica (?), George Russell (?), Nicholas Latifi (?), Sergio Sette Câmara (?)

O que não falta para a Williams é problema na F1 2020. Neste ano, a esquadra tem o pior carro do grid, que ficou pronto com atraso e perdeu metade da os treinos coletivos de pré-temporada, De lá para cá a situação não melhorou, e o equipamento é praticamente incapaz de somar pontos.

A situação financeira da esquadra, que perdeu patrocinadores importantes no fim do ano passado, como a Martini, também é delicada.

Parte do orçamento foi equilibrado pela multa paga por Stroll para que ele fosse liberado do contrato que tinha com a equipe e se juntasse ao time do pai. Mas essa é uma receita com que a Williams não contará em 2019 e que pode comprometer o orçamento do próximo ano. Assim a tendência é que o time vá atrás de pilotos pagantes.

George Russell deve permanecer, uma vez que seu contrato é válido para a próxima temporada e ele é dono de um dos menores salários do grid.

O favorito para ser seu companheiro é o canadense Nicholas Latifi, atual vice-líder da F2 e piloto de testes da própria Williams. O pai de Latifi é um empresário do ramo alimentício, com muito mais dinheiro que a família Stroll, e pode estar disposto a financiar a chegada do filho à F1 2020.

Outra opção que já foi ventilada é a promoção do brasileiro Sergio Sette Câmara, atual companheiro de Latifi na F2, mas aí dependeria de um acerto com a Petrobras, e o atual governo federal já se mostrou disposto a encerrar os investimentos da estatal na F1.

Ainda existe a possibilidade de manutenção de Robert Kubica, por causa de seus patrocinadores, mas o desempenho do polonês tem sido bastante abaixo do esperado. Apesar de ter somado o único ponto da esquadra até agora, em algumas corridas ele chegou a finalizar quase um minuto atrás de Russell. É pouco para um time que está em uma situação mais do que complicada.


RENAULT
2019: Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg
2020: Daniel Ricciardo, Nico Hulkenberg (?), Estaban Ocon (?)

Lembra quando eu disse que outras equipes estão esperando a decisão da Mercedes? Uma delas é a Renault. Caso Ocon seja liberado do vínculo que tem com a escuderia alemã, a montadora francesa aparece como favorita para contratá-lo.

Inclusive, a própria imprensa alemã publicou que a renovação de Bottas e a ida de Ocon para a Renault já estão definidas. Mas ainda não há uma confirmação oficial, e na F1 as coisas podem mudar muito rapidamente.

Caso Ocon seja contratado, Nico Hulkenberg é quem vai sobrar. Nesse cenário, ele é especulado na Haas.

A temporada 2019 tem sido bastante ruim para a Renault, que fez um investimento pesado para trazer Ricciardo da Red Bull e até agora ocupa somente a sexta colocação no Mundial de Construtores, atrás até mesmo da McLaren, que usa os mesmos motores da fabricante francesa. Humilhante.


MCLAREN
2019: Lando Norris e Carlos Sainz Jr
2020: Lando Norris e Carlos Sainz Jr

A McLaren foi uma das primeiras equipes a confirmar oficialmente a dupla para a temporada 2020 da F1, renovando os contratos de Lando Norris e de Carlos Sainz Jr.

E há muitos motivos para essa decisão. O time assumiu a posição de quarta força da F1, atrás apenas de Mercedes, Red Bull e Ferrari, com Sainz, inclusive, brigando com Pierre Gasly pelo sexto lugar no Mundial de pilotos

Como a equipe está passando por um período de reformulação entre o fim da era Fernando Alonso/Eric Boullier/Honda para a era Andreas Seidl/James Key/Norris, manter a continuidade em sua dupla é importante para que todas as atenções e investimentos a partir de agora sejam feitos no equipamento.

Lembrando que o carro de 2020 será o primeiro construído totalmente por Key, projetista que estava na Toro Rosso e era apontado como sucessor de Adrian Newey na Red Bull, mas que a McLaren conseguiu contratar.

E para saber os rumores, boatos e negociações de Ferrari, Alfa Romeo, Haas, Red Bull e Toro Rosso para a F1 2020 basta clicar aqui.

foto do topo: daimler/divulgação

foto de Robert Kubica
Robert Kubica, apesar de ter somado o único ponto da Williams na F1 2019, não tem vaga garantida para 2020 – foto: president.az, CC BY 4.0

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s