foto de Romain Grosejan

Rich Energy, a patrocinadora mais esquisita da F1 2019

Encontrar um patrocinador disposto a investir na F1 muitas vezes é um exercício de criatividade por causa dos altos custos envolvidos.

Por essa razão, vez ou outra aparece alguma empresa de procedência duvidosa. A bola da vez é a Rich Energy, um energético que pretendia fazer frente à Red Bull e assinou com a Haas no fim da temporada passada.

E, da mesma forma que o acordo com a equipe americana foi fechado rapidamente no fim de 2018, ele foi desfeito nesta quarta, em uma mensagem pelo Twitter.

O motivo alegado pela Rich Energy foi a falta de resultados. O objetivo da fabricante britânica, com a parceria com a Haas, era andar na frente da Red Bull. Mas, no GP da Áustria, o time americano estava atrás até mesmo da Williams. A empresa também citou a politicagem na F1 como um entrave para seus negócios.

Lembrando que no GP da Áustria, Kevin Magnussen terminou em 19º, somente na frente de Robert Kubica, enquanto Romain Grosjean foi o 17º, na frente também de George Russell.

Polêmicas da Rich Energy na F1 2019

Só que os problemas envolvendo a Rich Energy começaram antes mesmo da assinatura com a Haas.

Quando a Force India entrou em administração, em meados de 2018, a empresa teria feito uma proposta de compra da escuderia, para mantê-la com Vijay Mallya, o antigo dono. Mas a solução foi recusada pelo administrador legal. Na época, foi dito que o plano de negócios da fabricante de energéticos não era suficiente para que o time sobrevivesse na F1.

Depois, a Rich Energy começou a negociar com a Williams, mas o acordo não foi fechado. Menos de uma semana depois, a empresa anunciou que ia patrocinar a Haas em 2019.

Na época, o anúncio foi cercado de polêmicas. Uma delas é que a bebida energética em si ainda não era comercializada, então de onde vivia o dinheiro para pagar o acordo de patrocínio na F1?

Quando Gunther Steiner, o esquentado chefe da Haas, foi questionado sobre essas dúvidas sobre a Rich Energy, ele respondeu dizendo que a escuderia americana tinha feito a lição de casa e levantado todas as informações necessárias sobre sua nova patrocinadora. Ele também afirmou que a equipe fez “mais do que dar um Google”.

A outra polêmica na qual a fabricante de energéticos se envolveu foi, no começo de 2019, quando uma empresa chamada Whyte Bikes a processou, alegando que a Rich tinha plagiado o logo em forma de cervo.

A Justiça britânica deu razão à Whyte Bikes e obrigou que a patrocinadora da Haas parasse de usar o logo. Como resultado, eles foram retirados dos carros de Romain Grosjean e Kevin Magnussen nas últimas etapas.

Mas essa não foi a maior derrota da Rich Energy nos tribunais. A Justiça também mandou que a empesa entregasse informações sobre a produção de bebidas e sobre seu desempenho financeiro, incluindo o acordo com a Haas na F1 – estimado em oito dígitos pela imprensa americana.

Foi nesse contexto de derrota na Justiça e de dúvidas sobre sua própria saúde financeira que a Rich Energy rescindiu contrato com a esquadra americana.

Muito provavelmente a história não vão terminar aí. Dificilmente um contrato na principal categoria do esporte a motor pode ser desfeito, sem pagamento de multa, assim rapidamente.

Mesmo a justificativa de Grosjean e Magnussen não terem ido bem na Áustria não cola. Contratos até costumam ter cláusulas de desempenho, mas é questão de a patrocinadora pagar mais caso a escuderia consiga cumprir resultados pré-estabelecidos e/ou ter descontos pelo desempenho ruim na pista.

É quase impensável que o contrato entre Rich e Haas tivesse alguma cláusula permitindo o rompimento porque os pilotos andaram no fim do grid em uma corrida. A equipe americana teria sido muito ingênua, para dizer o mínimo, ao aceitar um vínculo assim.

O que se especula é que a fabricante de energéticos usou o mau desempenho no Red Bull Ring para rescindir o contrato porque acabou o dinheiro (uma vez que a bebida praticamente não foi produzida) ou para tentar se livrar dos problemas com a Justiça britânica.

Pior para a Haas, que agora pode ficar sem o orçamento para completar a temporada 2019 da F1.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos do GP da Áustria da F1, assim como os das principais categoria do automobilismo mundial naquele fim de semana.

foto do topo: foto: lukas raich, own work, CC BY-SA 4.0

Haas VF19 F1 2019 Formula 1 novos carros da F1 2019
Detalhe do carro da Haas da F1 2019 com o polêmico logo em forma de cervo da Rich Energy – foto: Haas/divulgação

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s