foto de Pietro Fittipaldi no DTM 2019

Pietro Fittipaldi e os pontos da superlicença da F1

Se a situação de Pietro Fittipaldi para obter a superlicença, documento obrigatório para correr na F1, já era complicada, agora piorou ainda mais com a notícia que ele ficará de fora da etapa do DTM em Misano, no começo de junho.

Como a rodada italiana acontece no mesmo dia que o GP do Canadá, a Haas, equipe da qual o brasileiro é piloto de testes na F1, vetou sua participação e ele será substituído por Andrea Dovizioso, vice-campeão da MotoGP em 2017 e 2018.

Pelas regras da FIA, um piloto recebe pontos pelo desempenho a cada temporada. Para conseguir a superlicença e, portanto, ser titular da F1, é necessário somar 40 em três anos.

Os pontos da superlicença na F1

Segundo uma reportagem do site Projeto Motor, a FIA indicou que Fittipaldi tem 35 por causa do título da World Series em 2017. E a ida para o DTM, em 2019, servia tanto para ele se manter em atividade enquanto é reserva da Haas, quanto para obter os cinco que faltam.

É preciso terminar o campeonato alemão de carros de turismo no mínimo na sexta colocação para conquistar cinco pontos. Após a rodada de abertura, no último fim de semana, em Hockenheimring, o brasileiro é o 15º na tabela.

Ficar uma corrida de fora costuma prejudicar o desempenho de qualquer piloto. No ano passado, o alemão René Rast foi vetado pelos médicos de tomar parte da segunda bateria da etapa de Lausitzring por causa do forte acidente que havia sofrido no dia anterior. Mesmo com o recorde de cinco vitórias nas últimas cinco provas da temporada, ele não conseguiu ultrapassar Gary Paffet na classificação e ficou com o vice-campeonato.

No fim do campeonato de 2018, a diferença entre os dois tinha sido de apenas quatro pontos. Ou seja, se Rast tivesse disputado a segunda bateria em Lausitz e terminado em oitavo, ficaria com a taça.

E, se voltarmos a 2011, veremos que Mike Rockenfeller foi justamente o sexto colocado na tabela, após ter perdido, por coincidência, a corrida de Lausitzring, devido a um grave acidente que sofrera nas 24 Horas de Le Mans. Nas demais etapas, o germânico tinha obtido uma vitória, outro pódio e uma pole.

A diferença é que, em 2011, o DTM ainda não tinha adotado o formato de rodadas duplas. Isto é, Rockenfeller ficou de fora de apenas uma corrida, não de duas como será o caso de Fittipaldi.

Portanto, perder uma etapa é mais um obstáculo para o brasileiro um dia eventualmente ser titular da F1. Isso em um ano para lá de complicado para ele, tendo sido o último piloto a ser confirmado no grid de 2019 e competir pela WRT, única equipe do certame cujo orçamento não é pago por uma montadora (depende de seus próprios patrocinadores).

Para terminar, é preciso lembrar que os pontos da superlicença valem por três anos. Como Fittipaldi foi campeão da World Series em 2017, os 35 obtidos naquela campanha só podem ser usados em conjunto com os de 2018 (não somou nenhum) e com os que vier a obter em 2019.

Se ele precisar de pontos obtidos em 2020 (como disputar um campeonato de inverno para pegar os que faltam), os de 2017 expiram. É também uma corrida contra o tempo.

Andrea Dovizioso no DTM 2019

Voltando a Dovizioso, não é incomum pilotos da MotoGP testarem ou correrem na quatro rodas em algum momento de suas carreiras – ou então depois que já se aposentaram. Por exemplo, no fim de 2017, Marc Márquez guiou um carro da F3 Japonesa em um evento da Honda.

Mas minha história favorita e que eu não canso de escrever é a de Pol Espargaró, titular da KTM na MotoGP. Quando ele foi campeão da Moto2, em 2013, combinou com o chefe de sua equipe, Sito Pons, para testar um dos carros da World Series do time como prêmio.

Naquela época, a Pons corria tanto na Moto2 quanto na World Series, o que facilitava o acordo. O dirigente nem motivo para recusar. Mas o que era para ser parte das comemorações pela taça acabou pesando no bolso. É que Espargaró destruiu o carro em uma batida.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da etapa de abertura do DTM 2019, em Hockenheimring, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial.

foto de Andrea Dovizioso em frente ao carro
Andrea Dovizioso vai estrear no DTM 2019 em Misano no lugar de Pietro Fittipaldi – fotos do post: audi/divulgação

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s