Luis Leeds, Fórmula 4, F4 Australiana, 2019, Red Bull Junior Team

Há vida depois do Red Bull Junior Team

Antigo colega de Sergio Sette Câmara no Red Bull Junior Team, o australiano Luis Leeds enfim vai conseguindo dar a volta por cima no esporte a motor.

No fim de semana, na abertura da temporada 2019 da F4 Australiana, disputada como preliminar da F1, em Melbourne, ele venceu uma das baterias e terminou em segundo na outra. Com esse desempenho, é o líder do campeonato.

Mas fazia tempo que Leeds não andava bem. Na verdade, desde que foi demitido pelo programa rubro-taurino, no fim de 2016.

Naquele ano, tanto o piloto australiano quanto Sette Câmara tiveram passagens parecida pelo Red Bull Junior Team. Foram contratados com status de aposta por terem brilhado no ano anterior, tiveram desempenho no geral abaixo do esperado e não seguiram na iniciativa em 2017.

Sette Câmara tinha sido escolhido para ingressar no Junior Team por ter se destacado enquanto fazia, em 2015, sua primeira temporada completa nos monopostos. Mesmo competindo contra pilotos mais experientes na F3 Euro, lutou pelo pódio em algumas provas.

Já Leeds teve uma ascensão pouco convencional. Em 2015, ele já tinha disputado a F4 Australiana, mas terminado apenas com a sexta colocação. Na maior parte daquela temporada, estava na luta para ficar entre os três primeiros da tabela, mas acidentes na última etapa, em Surfers Paradise, o derrubaram na classificação.

O grande momento australiano, na verdade, aconteceu do outro lado do mundo, quando a F1 correu no México. Naquele fim de semana, coube à F4 Mexicana fazer a preliminar do GP, reunindo um grid bastante forte, incluindo até mesmo Pato O’Ward, hoje piloto da Carlin na Indy.

Mas a surpresa entre os inscritos era Leeds, um australiano que até então ninguém tinha ouvido falar.

De um lado, ele tinha desembarcado do outro lado do planeta, em um país com idioma totalmente diferente e sem conhecer o traçado do Hermanos Rodríguez. Do outro, era o único competidor que já tinha experiência no carro da F4, pois o equipamento era o mesmo usado na Austrália.

E, para surpresa geral, ele saiu-se vencedor da corrida.

Foi o suficiente para chamar a atenção de Helmut Marko, consultor da Red Bull e garantir a vaga no Red Bull Junior Team.

Mas avaliar o desempenho do australiano por causa de uma única corrida mostrou-se um erro. Em 2016, contando com o patrocínio da fabricante de energéticos, o piloto disputou a F4 Inglesa, terminando em terceiro na tabela, com três vitórias e outros oito pódios em 30 corridas. Pouco para quem tinha como objetivo lutar pelo título.

Futuro longe da Red Bull

Desde então, Leeds passou por Toyota Racing Series, pela F-Renault Eurocup e até mesmo voltou ao México para mais uma participação na F4, mas sem conseguir subir ao pódio em todas essas categorias. Sem opções nos monopostos, correu na Porsche Australiana na temporada passada.

Para 2019, ele assinou com a principal equipe da F4 Australiana, retornando à categoria após cinco anos. Em entrevista ao site oficial do campeonato, ele explicou que optou pela volta aos monopostos, já que o calendário da F4 com apenas quatro rodadas permite que ele tenha tempo para se dedicar aos estudos.

Nos cinco cinco anos em que Leeds completou sua volta ao mundo e retornou para a Austrália, Sette Câmara, também dispensado pela Red Bull no fim de 2016, também precisou enfrentar altos e baixos na carreira.

O brasileiro demorou a se adaptar à F2, em 2017, quando andou pela MP, uma das menores equipes da F2, e só foi pontuar na segunda metade daquela temporada. E, no ano passado, falhas mecânicas e acidentes comprometeram o desempenho dele nas primeiras etapas pela Carlin.

Mas, desde então, se tornou piloto reserva da McLaren e é apontado como um dos favoritos para a temporada 2019 da F2, tendo assinado com a Dams.

Sergio Sette Câmara, 2016, Red Bull Junior Team, F3 Euro, Motopark
Sergio Sette Câmara defendeu as cores do Red Bull Junior Team em 2016 – foto: f3 euro/divulgação

foto do topo: cams media/divulgação

2 comentários sobre “Há vida depois do Red Bull Junior Team

  1. Felipe, o que o próprio Sette Camara mencionou na midia na epoca logo após sair do Programa da Red Bull é que ele como muitos pilotos foram $elecionados e não selecionados.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s