Felipe Nasr, Pipo Derani, Eric Curran, Action Express, 12h de Sebring, 2019, Imsa

Vitória de Felipe Nasr nas 12h de Sebring

Faltava para Felipe Nasr ganhar alguma das principais corridas de longa duração dos EUA. Agora não falta mais. O trio formado por ele, pelo compatriota Pipo Derani e pelo americano Eric Curran conquistou neste fim de semana as 12 Horas de Sebring, segunda etapa da temporada 2019 da Imsa.

O triunfo ainda acabou com uma das principais críticas que se fazia ao brasileiro no ano passado, que, apesar de ter sido campeão da Imsa, ele não vencia corridas. Em 2018, subiu ao degrau mais alto do pódio uma única vez: em Detroit.

Mas não era culpa de Nasr. No ano passado, o brasileiro tinha como parceiro durante toda a temporada Curran, um gentleman driver e responsável por levar o patrocínio da Whelen para a equipe Action Express.

Como competiam com duplas formadas por dois pilotos profissionais, eram obrigados a recorrer à estratégia para obter bons resultados. Assim, priorizavam chegar entre os primeiros colocados com frequência em vez de arriscar tudo para obter uma vitória ou outra. A tática deu bastante certo, principalmente no começo da temporada 2018, tanto que lhes rendeu o título.

Para este ano, a Action Express contratou Pipo Derani para formar dupla com Nasr, enquanto Curran passou para a função de terceiro piloto, andando apenas nas etapas de maior duração, como as 12 Horas de Sebring ou as 24 Horas de Daytona.

Derani estava livre no mercado, pois a ESM, escuderia pela qual competia, fechou as portas no fim do ano passado ao perder seu principal patrocinador, a tequila Patrón.

Curiosamente, quando a Action Express anunciou a chegada de Derani, um de seus dirigente foi bastante sincero na hora de explicar por que escolheram o brasileiro. “Ele nos vencia bastante, então percebemos que era mais fácil contratá-lo”.

Como Curran continua como terceiro piloto, dava até para esperar que Nasr e Derani ficassem mais competitivos só a partir da etapa de Long Beach, marcada para o mês de abril, quando o carro número 31 ficará a cargo apenas dos dois profissionais.

No entanto, a nova parceria deu tão certo que mesmo nas provas de maior duração eles estão lutando pelo primeiro lugar.

Nas 24 Horas de Daytona, em janeiro, após uma intensa batalha com Fernando Alonso, o triunfo escapou quando Nasr cometeu um pequeno e saiu da pista pouco antes de a chuva aumentar. Foi o suficiente para que o bicampeão da F1 retomasse a primeira colocação, que seria mantida até a prova ser encerrada mais cedo devido ao mau tempo.

Em Sebring, não teve para ninguém. Segundo o site The B Pillar, especializado em fazer a análise de dados das corridas, Nasr foi o piloto mais rápido das 12 Horas de Sebring, quando se é levado em conta a média das 15 voltas mais velozes de cada um dos competidores ao longo da prova, independentemente do momento em que cada uma delas foi registrada.

Como Derani ficou com a sexta colocação nessa classificação, o resultado foi o amplo domínio em Sebring do Cadillac número 31, embora durante parte da prova a distância para o segundo colocado, o equipamento da equipe de Wayne Taylor, tenha sido apenas de cerca de um segundo. Esse foi o terceiro triunfo de Derani em Sebring em quatro participações dele na corrida, sendo o recordista entre os atuais pilotos da Imsa.

Felipe Nasr na Formula E

A vitória da Nasr em Sebring também coincide com a ida para a Formula E, onde corre pela Dragon.

Quando o brasileiro fechou contrato para correr na Imsa, antes da temporada passada, foi uma surpresa bem grande, porque o campeonato de longa duração dos EUA não é a primeira opção para quem está deixando a F1. Indy, WEC e a própria Formula E costumam ser as principais escolhas.

Pouco mais de um ano depois, Nasr está de volta ao ambiente europeu das competições e correndo contra diversos dos principais nomes de sua geração.

Talvez esteja chegando o momento em que ele deixará de vez os EUA para se dedicar apenas ao campeonato de carros elétricos. E, se isso acontecer, ele já terá acrescentado ao currículo o título de 2018 e a vitória deste fim de semana nas tradicionais 12 Horas de Sebring – e ainda há muita coisa para acontecer daqui até o fim da temporada da Imsa.

Já a Action Express estará em boas mãos com Derani, que poderá buscar, além do título, o recorde de vitórias da história em Sebring, pertencente a Tom Kristensen, ex-Audi, com seis triunfos na corrida.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos das 12 Horas de Sebring, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Felipe Nasr, Pipo Derani, Eric Curran, Action Express, 12h de Sebring, 2019, Imsa
O Cadillac número 31 de Nasr, Derani e Curran dominou a maior parte das 12 Horas de Sebring – fotos do post: josé mario dias/fgcom/divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s