Se para nós, do ocidente, a busca de Dan Ticktum pelos cinco pontos que faltam na superlicença – e consequentemente a vaga na F1 – é o maior atrativo da temporada 2019 da Super Formula, no Japão a categoria se reuniu para dois dias de treinos coletivos, nesta segunda e terça-feira, após um dos mercados de pilotos mais loucos de sua história.

Para se ter ideia, tanto o atual campeão quanto o vice, Naoki Yamamoto e Nick Cassidy, respectivamente, trocaram de equipes. E diversos veteranos se aposentaram, fazendo com que a idade média dos participantes caísse quase quatro anos: de 29 anos e 8 meses para 26 anos e três meses.

E quem liderou as atividades em Suzuka foi justamente um estreante: Alex Palou, de 21 anos, um dos mais jovens do grid.

O espanhol foi o escolhido para comandar o Team Goh, escuderia japonesa que ganhou as 24 Horas de Le Mans de 2004, no retorno dela às pistas. A esquadra vai competir na SuperGT com uma McLaren, como forma de preparação para uma eventual volta à tradicional prova francesa no futuro.

No Japão, é comum que pilotos disputem tanto o Super GT quanto a Super Formula. E esse é o caso de Palou, que assinou com a Nakajima para a principal categoria de monopostos do país.

Depois de ter sido terceiro colocado na F3 Japonesa em 2017 (e competido na Europa sem tanto destaque no ano passado), Palou cravou o tempo de 1min35s904, na estreia oficial do novo carro da categoria.

A segunda colocação ficou com Nirei Fukuzimi, 0s246 atrás do espanhol. O nipônico é outro que se mudou para o oriente em 2019 depois de ter competido na Europa (na F2). Ele já havia sido o mais rápido nos testes de pós-temporada, no fim de 2018.

Fukuzumi vai correr pela equipe Dandelion, a escuderia que teve Stoffel Vandoorne, em 2016, antes de ele ir para a McLaren.

Mas desde a despedida do belga, a esquadra vem se reforçando. Além de Fukuzumi, o time trouxe Yamomoto, atual campeão da Super Formula e que ficou com a quinta colocação na soma dos tempos desta semana.

O veterano piloto nipônico justificou a troca de times dizendo que seu objetivo é ir bem em todos os circuitos do calendário, não só em Suzuka, onde conquistou quatro de suas cinco vitórias da carreira no certame. Seu engenheiro o acompanhou na mudança da Mugen para a Dandelion.

Kenta Yamashita, que permanece na Kondo, terminou as sessões de pista em terceiro, seguido por seu antigo companheiro de equipe, Cassidy, novo reforço da TOM’S.

Desde a saída de André Lotterer para a Formula E, no fim de 2017, a principal equipe da Toyota buscava um substituto para o alemão. No ano passado, James Rossiter ficou com a vaga, mas nem sequer pontuou. Dessa vez, o posto será de Cassidy.

Dan Ticktum na Super Formula 2019

Logo atrás de Yamamoto, apareceu Dan Ticktum em sexto. Curiosamente, é o jovem pupilo da Red Bull que ficou com a vaga aberta após a saída do veterano da Mugen.

Para obter os cinco pontos que faltam em sua superlicença, o britânico precisa terminar o campeonato entre os cinco primeiros. É uma tarefa das mais complicadas, mas Pierre Gasly, atual titular da Red Bull, foi o vice da Super Formula, em 2017, andando pela mesma Mugen.

Uma das únicas equipes a não ter mexido na dupla de pilotos, a Impul colocou seus dois carros no top-10 da atividade: Ryo Hirakawa fechou em sétimo, enquanto Yuhi Sekiguchi foi o nono.

No meio do sanduíche, apareceu Kazuki Nakajima, companheiro de Cassidy na TOM’S. Neste ano, o ex-piloto da Williams na F1 poderá se concentrar na luta pelo título, já que não haverá choques de data entre a Super Formula e o WEC, onde também compete.

Tomoki Nojiri, que fez o o caminho oposto de Yamamoto ao trocar a Dandelion pela Mugen, completou o top-10.

Último nome confirmado no grid deste ano, Artem Markelov, que passou os últimos anos lutando pelas primeiras colocações na F2, foi o 15º em seu primeiro teste oficial no Japão. Ele vai andar pela LeMans, a mesma equipe pela qual Pietro Fittipaldi ia disputar a temporada passada, antes de sofrer o grave acidente em Spa-Francorchamps, em que quebrou suas duas pernas.

No fim do ano passado, Fittipaldi até esteve no Japão para negociar um retorno à categoria, junto com a função de piloto de testes da Haas, mas sem sucesso.

Entre os demais novatos conhecidos, Harrison Newey, filho de Adrian Newey, o projetista da Red Bull, foi o 17º, ficando 1s4 atrás do tempo de Palou. Esse ano marcará o retorno do britânico aos monopostos depois de ter competido com protótipos em 2018.

Newey foi pouco mais de 0s1 mais rápido que Lucas Auer, sobrinho de Gerhard Berger e integrante do Red Bull Junior Team. O austríaco esteve no DTM desde 2015, mas deixou a categoria após a saída da Mercedes, para quem competia.

As equipes da Super Formula agora voltam à pista no dia 26 e 27 de março, em Fuji, para a última sessão da pré-temporada.

Abaixo você pode ver a soma dos tempos dos treinos em Suzuka:

resultados dos treinos da super formula 2019 suzuka

Alex Palou, Super Formula, Suzuka, Super Formula 2019, resultados, treinos, teste
Alex Palou foi o líder das atividades desta semana da Super Formula 2019 em Suzuka