Pilotos da Alfa Romeo na F1 2019:
7 – Kimi Raikkonen (FIN)
99 – Antonio Giovinazzi (ITA)

É sempre importante dar tempo ao tempo, e a Alfa Romeo sabe muito bem disso. Há pouco mais de dois anos, a escuderia, quando ainda se chamava Sauber, precisou de um nono lugar obtido por Felipe Nasr no GP do Brasil para garantir o décimo – e penúltimo lugar no Mundial de Construtores – e uma premiação maior da F1 para aliviar seu orçamento para o ano seguinte.

Agora, essa mesma equipe se chama Alfa Romeo, conta com investimentos da montadora e assinou com Kimi Raikkonen, campeão mundial de 2007 e recentemente dispensado pela Ferrari.

Essa virada na sorte da Sauber/Alfa Romeo não foi por acaso. Faz parte de um plano arquitetado por Sergio Marchionne, ex-presidente da FCA e que morreu de forma inesperada em julho do ano passado.

Como as equipes da F1 estão negociando os novos acordos comerciais com a Liberty, além de discutirem o regulamento que deve entrar em vigor em 2021, Marchionne tinha percebido que precisava de aliados na hora de ir para as reuniões e defender seus interesses, e um dos escolhidos por ele foi a Sauber.

Em troca desse apoio político, desde o começo de 2018 a escuderia suíça passou a receber motor Ferrari atualizado e dinheiro via patrocínio da Alfa Romeo.

No começo deste ano, seis meses após a morte de Marchionne, a parceria foi ampliada, e a montadora italiana aumentou ainda mais o investimento. Como consequência, o time foi rebatizado apenas para Alfa Romeo, abandonando o nome Sauber após quase 30 anos na F1.

Outra consequência do acordo elaborado por Marchionne é que, por causa do patrocínio da Alfa, a Ferrari ganhou o direito de indicar um dos pilotos da aliada. No ano passado, foi Charles Leclerc. O monegasco impressionou tanto, que acabou promovido para Maranello. E agora Antonio Giovinazzi é quem ficará com essa vaga destinada a um indicado da Ferrari.

Para uma escuderia que viveu uma época de vacas magras em 2016, nada mau começar o ano com Raikkonen e Giovinazzi como dupla.

Com mais dinheiro para desenvolver o equipamento, não é surpresa que o novo carro para a temporada 2019 da F1 tenha mudanças radicais com relação ao do ano passado.

A mais visíveis estão na parte da frente. Por causa da nova regra que simplificou a asa dianteira, a Alfa Romeo seguiu a tendência da Ferrari (e diferente da Mercedes) de as lâminas superiores da peça estarem inclinadas para baixo.

Quanto ao bico, ele é similar ao de Red Bull e de McLaren, aberto para que o ar entre em quase toda sua extensão (veja mais abaixo imagem da peça).

Por fim, A entrada de ar no santantonio é gigantesca com ao menos quatro divisões, tudo para compensar a diminuição dos sidepods sem comprometer a refrigeração do motor e do turbo.

PONTOS FORTES DA ALFA ROMEO 2019

Só melhora. É assim que dá para definir a fase da Alfa Romeo. Com mais dinheiro desde o início da temporada passada, a equipe conseguiu fazer o carro evoluir, atrair pilotos mais talentosos e, consequentemente, motivar os engenheiros e projetistas a continuarem a melhorar o equipamento. Assim, o investimento da montadora cresceu, e a expectativa do time é andar ainda mais na frente em 2019, tendo, inclusive, sido uma das surpresas positivas da pré-temporada.

PONTOS FRACOS

Apesar da boa fase, há alguns pontos de interrogação sobre o quanto a escuderia suíça vai render em 2019. O primeiro é com relação ao pacote técnico. É que a principal parceira da Ferrari (ou cliente, melhor dizendo) é a Haas, que compra de Maranello tudo o que o regulamento permite.

As outras dúvidas dizem respeito à dupla de pilotos. Nas últimas temporadas, Raikkonen foi criticado por não acompanhar o ritmo de Sebastian Vettel e por estar desmotivado. Se com um carro capaz de chegar ao pódio frequentemente já havia desconfiança quanto ao desempenho do finlandês, o que dizer dele em um time lutando no meio do pelotão?

Quanto a Giovinazzi, além de precisar conviver com as comparações com Leclerc, o italiano deixou uma impressão ruim nas duas corridas que fez pela Sauber, em 2017, substituindo na época o lesionado Pascal Werhlein. Tanto que no GP da China bateu sozinho, em plena reta principal.

Alfa Romeo C38, Sauber, F1 2019, Formula 1, novos carros da F1 2019, Sauber 2019, Alfa Romeo 2019
Lateral do novo carro da Alfa Romeo para a F1 2019, que tem uma das menores barbatanas de tubarão do grid
Alfa Romeo C38, Sauber, F1 2019, Formula 1, novos carros da F1 2019, Sauber 2019, Alfa Romeo 2019
Novo carro da Alfa Romeo para a F1 2019
Alfa Romeo C38, Sauber, F1 2019, Formula 1, novos carros da F1 2019, Sauber 2019, Alfa Romeo 2019
Alfa Romeo da F1 2019 tem buraco do sidepod reduzido, mas quatro pontos de entrada de ar no santantonio
Alfa Romeo C38, Sauber, F1 2019, Formula 1, novos carros da F1 2019, Sauber 2019, Alfa Romeo 2019
Detalhe do bico e da asa dianteira do novo carro da Alfa Romeo para a F1 2019

Abaixo você pode clicar nos links em azul para ver sobre os novos carros da F1 2019:
Haas VF-19
Toro Rosso STR14
Mercedes W30
> Ferrari SF90
> Red Bull RB15
> McLaren MCL34
> Racing Point RP19
> Williams FW42
> Renault RS19
> Guia F1 2019