Felipe Nasr, Felipe Nasr 2019, Imsa, Cadillac, Action Express

Felipe Nasr na Formula E 2019

Quando Felipe Nasr anunciou que estava retomando a carreira na Imsa, após a saída da F1, ficava a sensação de que ele tinha escolhido um caminho mais alternativo.

É verdade que o campeonato norte-americano estava crescendo com as chegadas da Joest (para operar o time da Mazda), da Penkse, de Helio Castroneves e de Juan Pablo Montoya, mas mesmo assim nunca figurou entre as principais escolhas para quem acabou de deixar a principal categoria do automobilismo mundial.

Na época, dava para argumentar que o ex-piloto da Sauber tinha optado pela Imsa por poder correr com um equipamento competitivo e por acreditar que em breve ela se tornaria o principal campeonato de corridas de longa duração do mundo – superando o WEC – ou então pelo desejo de fazer carreira nos EUA.

Mas o título veio em 2018, logo na primeira tentativa e não restou ao brasileiro muito mais o que fazer na Imsa.

Era uma boa hora de voltar ao caminho tradicional e buscar um campeonato de ponta. E dessa vez a opção foi pela Formula E. Nasr foi confirmado oficialmente pela equipe Dragon nesta quarta-feira, dia 13, para a disputa do restante da temporada 2019.

Estreia de Nasr na Formula E

Sua estreia será já neste fim de semana no México. E é a volta do piloto brasileiro aonde devia estar: competindo contra alguns dos principais nomes de sua geração e que, assim como ele, estão fora da F1.

Mas a chegada à Formula E em 2019 também terá seus percalços. Apesar de a categoria ter estreado um equipamento neste ano, Nasr praticamente ainda não teve contato com ele. Vai precisar aprender tudo sobre o veículo elétrico no shakedown e nos dois treinos livres no autódromo Hermanos Rodríguez.

Também pesa a Dragon não figurar entre as equipes mais competitivas. Ocupa a penúltima colocação neste começo de temporada, mesmo posto em que terminou no ano passado. Nesse caso, talvez o talento e a experiência do brasileiro possa ser o suficiente para obter melhores resultados.

A expectativa é que Nasr corra todo o restante da temporada, com exceção da prova em Roma, no dia 13 de abril. É que na mesma data a Imsa corre em Long Beach, e o piloto tem contrato com a Action Express, que busca defender o título conquistado em 2018, ainda mais após a contratação de Pipo Derani para ser seu parceiro.

Falando na categoria dos EUA, além da busca pelo bi, falta ao brasileiro ganhar uma das grandes corridas da Imsa – as 24 Horas de Daytona, as 12 Horas de Sebring e a Petit Le Mans – seu único triunfo até agora foi na etapa de Detroit do ano passado.

Mas não é necessário disputar a temporada completa para ter chance nessa provas. É que por serem de longa duração, as equipes acabam colocando um terceiro – e até mesmo um quarto – piloto nos carros. E por já ter sido campeão da categoria, Nasr teria a oportunidade de ser escalado nessas vagas extras por times competitivos sempre que quisesse – e que não houvesse choque de datas da Formula E.

Nos carros elétricos, Nasr se juntará a outros três pilotos do país com passagem pela F1: Felipe Massa, também novato neste ano, Nelsinho Piquet e Lucas Di Grassi. Os dois últimos já foram campeões do certame.

Formula E, Formula E 2019, Audi, Santiago, Chile, F-E
Largada da Formula E 2019 em Santiago – foto: audi/divulgação

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s