Houve um tempo em que janeiro era sinônimo de tédio no automobilismo, e tudo o que acontecia era apenas a expectativa para ver o lançamento dos carros da próxima temporada da F1.

Mas essa era uma época em que mesmo a internet tinha pouco alcance, e era muito complicado seguir certames do segundo escalão.

Hoje é diferente. Diversas categorias ao redor do globo oferecem transmissão online para acompanhar suas corridas, e muitas delas perceberam que ter eventos em janeiro e fevereiro é um negócio lucrativo. Afinal, dão a pilotos e equipes da Europa a oportunidade de treinar e correr em lugares mais quentes, ao mesmo tempo em que a neve cobre boa parte dos circuitos europeus.

Foi de olho em atrair quem está se preparando para o resto da temporada que a Toyota Racing Series, desde 2010, começou a se internacionalizar. Conhecida por ser a primeira categoria do ano, seu segredo é realizar 15 corridas em cinco fins de semana consecutivos na Nova Zelândia em um equipamento próximo do que é um F3.

A vantagem era ser vendida como um pacote. Os competidores pagam para correr e recebem desde equipamento e engenheiros de uma equipe a hospedagem e transporte. A única preocupação seria comprar as passagens para chegar ao país da Oceania na data marcada. O plano deu certo, e já atraiu nomes como Lando Norris, Lance Stroll e Daniil Kvyat, entre muitos outros.

Mas hoje há mais opções para quem busca um torneio nos primeiros meses do ano. Durante o mês de janeiro, duas etapas do campeonato de inverno da F3 Asiática serão disputadas, enquanto a F4 dos Emirados Árabes vai uma vez à pista. Isso sem falar no MRF Challenge, que já teve provas em novembro e dezembro e retorna no começo de fevereiro.

Fica a dúvida se há pilotos interessados o suficiente para formar grids competitivos em tudo isso de campeonato. Aliás, grids pequenos deve ser um dos principais assuntos de 2019. Afinal, são oito F3 e quase 15 F4 marcadas para acontecer ao longo do ano.

Do lado das categorias profissionais, são dois destaques em janeiro. O primeiro é a Formula E, que visita o Marrocos – onde também realiza o treino dos novatos, com a presença de Pietro Fittipaldi e Felipe Nasr -, e o Chile após uma abertura emocionante, mas cheia de punições confusas na estreia do novo carro no fim de 2018.

Com quatro vitórias brasileiras em cinco anos, as 24 Horas de Daytona serão disputadas no último fim de semana do mês. E, nos próximos dias, há também as 24 Horas de Dubai, duas provas que reúnem alguns dos principais pilotos do mundo. Como muitos carros contam com quatro ou cinco competidores devido à duração, é mais concorrência entre as categorias, ou seja, aumentando a chance de grids menores em certames com menos apelo.

E janeiro ainda tem o Dakar, que começa no dia 6, uma etapa da Asian Le Mans Series, com Pipo Derani na luta pelo título, e o início do WRC, que terá o retorno de Sébastien Ogier à Citroën. Fora a Race of Champions, no México, com Helio Castroneves e Lucas Di Grassi buscando o título brasileiro no evento.

Abaixo você pode ver as principais categorias que correm neste mês, incluindo campeonatos menos famosos (clique na imagem abaixo para aumentar, se necessário):

a e j

Leia outros textos do especial de fim de ano:
> 9 anos de World of Motorsport
Os melhores de 2018
As vitórias do Brasil em 2018
5 jovens promessas para ficar de olho em 2019
Quiz Autosport 2018
2018 World of Motorsport Rookie of the Year