GP de Macau de F3 2018

Será que o tradicional GP de Macau de F3 vai acontecer em 2019? É essa a dúvida de pilotos e equipes que desembarcaram no antigo enclave português para a disputa, neste fim de semana, de uma das corridas mais importantes das categorias de acesso.

Como no ano que vem a atual F3 Euro vai se fundir com a GP3, e seu calendário deverá ser predominantemente preliminar da F1, o ponto de interrogação agora é quais carros que poderão disputar o próximo GP de Macau.

Enquanto ainda não há uma resposta para essa pergunta, a corrida deste domingo se tornou a última chance para muitos pilotos repetirem Ayrton Senna, Michael Schumacher e David Coulthard, entre outros, e levantar o troféu de campeão no Circuito da Guia.

Por isso, a lista de inscritos de 2018 tem como destaque a volta de quase todos os principais concorrentes à vitória no ano passado, mas que por algum motivo ficaram pelo meio do caminho.

Entre eles estão Joel Eriksson e Callum Ilott. Em 2018, o sueco foi o pole do GP, enquanto o britânico dominou a corrida de classificação. Contudo, um toque entre eles no começo da prova decisiva mandou ambos para o muro, encerrando as chances de triunfo.

Depois de competir no DTM, pela BMW, neste ano, Eriksson andará em Macau pela Motopark, mesma equipe que o levou ao vice-campeonato da F3 Euro em 2017. Já Ilott, que se transferiu para a GP3, onde era favorito, mas teve uma temporada bem abaixo do esperado, andará pela Carlin, em uma tentativa de ao menos fechar 2018 em alta.

A aposta de ambos é usar a experiência que acumularam em outros campeonatos para conquistar a vitória que escapou no ano passado.

Outro que quase venceu em 2017 foi Ferdinand Habsburg. O austríaco ultrapassou Sergio Sette Câmara – principal ausência da prova deste ano – na volta final, mas bateu na última curva, cruzando a linha de chegada, com um carro destruído, em quarto.

Curiosamente, para este fim de semana, Habsburg trocou a Carlin pela Motopark, equipe de Sette Câmara no ano passado. Um dos motivos pode ter sido o baixo desempenho ao longo do ano, onde ele era um dos favoritos ao título da F3 Euro, mas terminou a temporada somente em 13º, com um único pódio obtido.

Entre os pilotos com negócios inacabados com o Circuito da Guia ainda está Mick Schumacher. No ano passado, o atual campeão da F3 marcou a volta mais rápida da corrida, mas um acidente nas primeiras voltas o impediu de lutar pela primeira colocação. Agora, com a taça conquistada neste ano e andando pela poderosa equipe Prema, o filho de Michael Schumacher é um dos favoritos à vitória – e a repetir as conquistas do pai e do tio Ralf Schumacher.

Mas antes o germânico terá que derrotar Dan Ticktum, atual vencedor em Macau. Neste ano, o jovem britânico da Red Bull não busca só o bicampeonato, ele quer também os pontos da superlicença que a prova passará a dar.

Nos últimos meses, Ticktum foi apontado como favorito a uma das vagas da Toro Rosso em 2019, mas por não ter os 40 pontos necessários na licença, não pôde ser promovido à F1. Com o vice da F3 Euro, ele adquiriu 25, faltam 15, portanto.

Após reclamações da fabricante de energéticos, a FIA decidiu que o vencedor do GP de Macau – considerada uma Copa do Mundo de F3 – ganhará cinco pontos na superlicença. Ou seja, se os embolsar e conseguir os de 2017 retroativamente, Ticktum estará a apenas cinco de substituir Daniil Kvyat ou Alex Albon em 2020.

Falando em Red Bull, a fabricante de energéticos estará presente na corrida em dose dupla. É que a prova em Macau marcará a estreia de Juri Vips, campeão da F4 Alemã no ano passado e uma das sensações da F3 Euro este ano,  no programa de jovens pilotos da escuderia em outro carro da Motopark.

Por fim, como Macau sempre tem espaço para surpresas – que o diga a vitória de Ticktum em 2017 – alguns pilotos correm por fora.

Vale ficar de olho em Sho Tsuboi, que só não ganhou duas provas – foi segundo em ambas – na temporada da F3 Japonesa. Ele disputa o GP pela terceira vez na carreira, podendo usar sua experiência para compensar o baixo rendimento do equipamento da TOM’S no famoso circuito de rua.

Ainda sobre os competidores vindos do Japão, a escuderia B-Max – tradicionalmente ligada à Nissan – anunciou uma parceria com a Motopark, que já vale para este fim de semana. Outra vantagem é que o time conta com dois veteranos em seus carros – Yuhi Sekiguchi indo para seu sexto GP e Alex Palou, para seu terceiro.

E há, ainda, a presença de Robert Shwartzman. Se Schumacher dominou a parte final da temporada da F3 Euro, com cinco vitórias consecutivas nas últimas três etapas, o russo não ficou muito atrás, terminando oito dessas nove provas no pódio.

O que pode comprometer o resultado de Shwartzman é que, além de ele ser um estreante em Macau, o bom desempenho na reta final da F3 pode estar ligado a um aumento no turbo do motor Mercedes em seu carro e no de Schumacher (o que não é necessariamente ilegal). Ou seja, se eles não puderem contar com essa mesma vantagem neste fim de semana, as chances de vitória diminuem.

Você pode clicar aqui para ver a lista de inscritos completa para o GP de Macau de 2018. E clicar aqui para acompanhar todos os resultados dos treinos e das corridas no fim de semana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s