Russell na Williams é um problema para Ocon

Ao menos um piloto júnior da Mercedes está garantido na temporada 2019 da F1. É George Russell, atual líder da F2, que acertou com a Williams. O britânico deve substituir Lance Stroll, quando o canadense se transferir para a Force India, recém-adquirida por seu pai.

Enquanto o futuro de Russell está a salvo, ainda há poucas informações sobre o que acontecerá com Esteban Ocon, o outro piloto júnior da Mercedes.

Com a ida de Stroll para a Force India, e fracassos em negociações com Renault e McLaren, o francês deverá perder a vaga na principal categoria do automobilismo mundial.

Então por que a Mercedes não colocou Ocon – considerado um dos nomes mais promissores do campeonato – na Williams em vez de promover Russell?

Dá para resumir a resposta dizendo que Toto Wolff, chefe da Mercedes, pensa que Ocon é bom demais para a Williams. Como o time britânico é o pior do grid em 2018, correr para ele seria considerado um passo atrás para o francês, que poderia até mesmo queimar sua carreira, caso brigasse todos os fins de semana pelas últimas posições.

Russell não sofre do mesmo problema, pois será um novato. Ou seja, tudo o que ele fizer de bom será considerado lucro, enquanto enfrentar maus momentos já é esperado para um estreante.

Basta ver que os diversos erros cometidos por Charles Leclerc nas primeiras corridas deste ano não o queimaram na Sauber. Pelo contrário, o monegasco, após dar a volta por cima e pontuar com frequência, foi promovido para a Ferrari.

Enquanto isso, sem a vaga na Williams, Ocon deverá ser anunciado como reserva da Mercedes.

O problema é que o mercado de pilotos da F1 2020 também não deve ser muito favorável para ele. Como já foi vetado por equipes como Toro Rosso e McLaren por sua ligação com a Mercedes, a menos que essas escuderias mudem de ideia, Ocon não terá espaço nelas.

Restaria a Mercedes, caso Valtteri Bottas seja demitido, ou a Force India, se Sergio Pérez for embora. Outra opções são mais improváveis. Envolveriam, por exemplo, a Sauber perder o patrocínio da Alfa Romeo, que hoje permite à Ferrari indicar um de seus pilotos para a esquadra.

E, além da falta de vagas no mercado, há outro risco para Ocon: o de Russell brilhar no ano que vem. Se o britânico tiver na Williams um desempenho similar ao que Leclerc vem tendo na Sauber, como a Mercedes vai justificar preferir trazer o francês de volta em vez de promover o britânico?

É por isso que, na maior parte das vezes, mais vale correr com um carro ruim que assistir a tudo pela televisão.

Anúncios

Um comentário sobre “Russell na Williams é um problema para Ocon

  1. Increíble… Ese asiento era para Pascal Wehrlein.

    No lo puedo creer! George Russell fue derrotado por Stroll en la F3, donde la presión le superó en el GP de Macau donde salió desde la pole.

    Sin dudas es bueno George. Pero tengo mis reservas si merece un Mercedes. Apostaría más por Ocon y Wehrlein

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s