brett moffitt nascar truck series win atlanta

O fenômeno Brett Moffitt na Nascar Truck Series

Com uma ultrapassagem na última curva, Brett Moffitt venceu a etapa de Michigan da Nascar Truck Series. Foi o quarto triunfo do piloto da equipe Hattori na atual temporada, empatando com Johnny Sauter, campeão de 2016 e que também recebeu a bandeira quadriculada na frente em quatro oportunidades neste ano.

Mas qual é o segredo de Moffitt, que só assinou de última hora para disputar a categoria em 2018 e nem sequer tinha patrocinador para todas as corridas?

É que o truck dele é praticamente o único do grid equipado com motor desenvolvido pela Toyota – e preparado pela equipe de Joe Gibbs. Os demais participantes usam propulsor Ilmor.

Como uma forma de baratear a Truck Series e atrair novos competidores, a Nascar mudou o regulamento para que neste ano as escuderias possam usar um motor padrão, da Ilmor. Isto é, é o mesmo equipamento para todas as escuderias, independentemente de qual montadora elas representem.

Como esse mesmo propulsor é usado por quase 30 trucks em todas as etapas e praticamente não tem concorrência, então é muito mais barato de que comprar um Toyota, Ford ou Chevrolet.

Aliás, é por causa dessa nova regra que a equipe Thorsport trocou a Toyota pela Ford em 2018. Como a fabricante americana praticamente não investe na Truck Series, se a escuderia precisasse usar o motor dela, então poderia ter prejuízo em termos de desempenho, mas como todos os times usam o equipamento Ilmor, então não muda nada na prática.

A diferença acaba sendo os adesivos no truck, que fica com cara de Ford F-150 e não mais uma Toyota Tundra.

Mas o equipamento Ilmor é opcional, e a equipe Hattori escolheu continuar sendo cliente da Toyota. Vem dando resultado. Tanto agora em Michigan quanto no triunfo em Atlanta, no começo do ano, o propulsor foi fundamental para que Moffitt conseguisse ultrapassar os adversários nas voltas finais para ficar com a vitória.

Só não ache que a Hattori seja ruim e esteja andando bem neste ano apenas por causa do motor. Em 2017, a escuderia já tinha se destacado e quase levado Ryan Truex para os playoffs. Só acabou de fora do mata-mata porque o piloto perdeu para Ben Rhodes nos critérios de desempate.

Para este ano, o plano era continuar com Truex, mas de última hora ele assinou com a Kaulig, da Xfinity. A solução foi trazer Moffitt, que já teve uma passagem pela principal divisão da Nascar e chamou a atenção ao ganhar, em 2016, uma das etapas da Truck – justamente em Michigan. E naquele ano o piloto tinha participado só de seis corridas em toda a temporada.

Ou seja, no pacote de 2018 o motor não é a única causa do bom desempenho, é um diferencial – e que está dando certo.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da Nascar em Michigan, assim como os principais categorias do esporte a motor no último fim de semana.

Veja abaixo a ultrapassagem de Moffitt em Sauter na última curva:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s