michael johnson facebook continental challenge lime rock tcr stephen simpson

Vitória de Michael Johnson

Foi com uma ultrapassagem depois da última curva, na volta final, que Stephen Simpson deu a ele e a Michael Johnson a vitória na divisão TCR da Continental Challenge, neste sábado, dia 21, em Lime Rock (o vídeo com a manobra está abaixo).

E assim Johnson se tornou o primeiro piloto em cadeira de rodas a terminar na frente em uma prova dessa que é considerada uma das categorias de acesso da Imsa.

Por ser um certame Pro-Am e que a diferença dos pilotos profissionais para os amadores às vezes é muito grande, a Continental Challenge costuma ter algumas corridas meio malucas, mas muito divertidas de acompanhar.

Assim, é comum que as equipes larguem com o amador e coloque o profissional, o quanto antes, para finalizar as corridas. A ideia é que um eventual safety-car reagrupe o pelotão e acabe com qualquer desvantagem no início.

Foi o que aconteceu em Lime Rock, em um fim de semana cheio de acidentes e bandeiras amarelas.

Depois de conquistar a pole-position na divisão TCR na sexta, Johnson guiou o Audi número 54 no início deste sábado, antes de entregá-lo a Simpson, que recentemente triunfou na Imsa, em Watkins Glen.

A bordo do equipamento, o sul-africano colou em Kenton Koch, em outro Audi, mas parecia que não tinha como tentar a ultrapassagem, já que se tratava de equipamentos iguais.

No começo da última volta, Simpson conseguiu a liderança, mas tomou o X de Koch na primeira curva. Quando entraram na reta principal pela última vez, o adversário espalhou um pouco, permitindo que o Audi da JDC cruzasse a linha de chegada na frente, no primeiro triunfo da equipe neste ano.

Essa também foi a primeira vitória de Johnson no automobilismo desde 2011, quando competia na Skip Barber, categoria-escola bastante popular nos EUA naquela época.

Desde então, o americano passou por USF2000 e Pro Mazda e tem como objetivo ser o primeiro piloto em cadeira de rodas a disputar as 500 Milhas de Indianápolis.

Ele perdeu os movimentos das pernas, em 2005, quando tinha 13 anos de idade. Na época, era considerado um dos nomes mais promissores dos EUA no motocross. Até então, ele havia conquistado 14 títulos na modalidade e estava próximo do 15º. Mas sofreu uma queda em uma corrida e foi atropelado por vários concorrentes, quebrando a coluna, as costelas e o lado direita da bacia.

Dois anos depois, ele voltou a correr, mas de kart e a transição para os carros maiores foi natural. Após alguns fortes acidentes nos monopostos, desde 2016 tem se dedicado ao endurance.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da Continental Challenge em Lime Rock, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s