Por que ficar de olho na Super Formula mesmo sem Pietro Fittipaldi?

Enquanto se recupera do grave acidente sofrido na etapa de Spa-Francorchamps do WEC, no qual quebrou as duas pernas, Pietro Fittipaldi tem bons motivos para ficar de olho na corrida da Super Formula, neste fim de semana, em Sugo.

É que, com as estreias de Tom Dillmann e Dan Ticktum (da foto em destaque), será uma boa oportunidade de ele avaliar seu desempenho na comparação com outros novatos no certame.

Antes da batida na Bélgica, o brasileiro tinha disputado uma única etapa pela categoria japonesa, em Suzuka, e não foi bem. Largou em último, ficando mais de 2s5 atrás do pole, fez algumas das voltas mais lentas de todo o pelotão e, prejudicado por um pneu furado, terminou em 16º, um giro atrás de Naoki Yamamoto, o vencedor.

Mas dava para dizer que, por ter sido o último piloto confirmado para fazer parte do grid, ele começou a temporada em desvantagem, com menos tempo de preparação que os adversários.

Agora, a situação é um pouco diferente. Tanto Dillmann quanto Ticktum praticamente não tiveram contato com o equipamento antes deste fim de semana.

Dillmann, inclusive, vai competir com o carro usado por Fittipaldi na primeira etapa do ano. Mesmo antes da lesão do brasileiro o francês já estava escalado para correr neste fim de semana, uma vez que a prova acontece no mesmo dia das 500 Milhas de Indianápolis, prova da qual o neto de Emerson Fittipaldi participaria.

Ou seja, também vai dar para ver como Dillmann se sai contra Kazuya Oshima, o outro piloto da equipe LeMans.

Ticktum, principal representante do Red Bull Junior Team, vai andar pela Mugen, no lugar de Nirei Fukuzumi, que estará em Mônaco para a etapa da F2.

Outra semelhança entre eles e Fittipaldi é o número grande de categorias nas quais competem neste ano. Além do certame japonês, o brasileiro havia fechado contrato para participar de algumas etapas da Indy, pela Dale Coyne, e do WEC.

Dillmann, no último fim de semana, estreou na atual temporada da Formula E e, assim como Fittipaldi, também corre no Mundial de Endurance e na Super Formula.

Já Ticktum, cuja principal campanha é a da F3 Euro (onde é apontado como um dos favoritos ao título), está em algumas provas no Japão, além de ter participado de testes na F2 e de guiar o simulador de F1 da Red Bull.

Como esses dois pilotos têm características parecidas com as do brasileiro, os resultados deles em Sugo podem indicar em qual nível Fittipaldi está na Super Formula. Isto é, se o brasileiro realmente está tendo os problemas naturais de qualquer novato ou se vai precisar trabalhar para evoluir seu desempenho enquanto se recupera das fraturas.

Você pode clicar aqui para acompanhar os resultados completos da etapa de Sugo da Super Formula.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s