É muito difícil pensar em um post de primeiro de abril, porque está muito complicado competir com a realidade cada vez mais surreal.

Quem é que poderia imaginar, no dia da mentira do ano passado, que Fernando Alonso ia faltar ao GP de Mônaco, da F1, para disputar as 500 Milhas de Indianápolis? Era tão absurdo que de fato aconteceu.

Só falta alguém falar que ele vai correr nas 24 Horas de Le Mans deste ano…

Como não dá para inventar uma mentira melhor que a realidade, vamos falar do que realmente aconteceu neste fim de semana: Paul Tracy voltou às competições.

Um dos pilotos mais populares da Indy na década de 1990 e 2000 – e hoje comentarista da TV americana -, Tracy disputou a etapa de Road Atlanta da Trans-Am, categoria semiamadora dos EUA.

Competindo com um Camaro com o número 87, o campeão da Indy de 2003 teve um fim de semana bastante agitado. Aos 49 anos e sem tomar parte de uma corrida profissional há seis, ele marcou o décimo tempo para o grid de largada, mas foi obrigado a partir do último posto depois que sua equipe decidiu trocar os pneus que haviam furado para a prova.

Saindo de 25º, Tracy ainda precisou superar um problema na asa traseira para recuperar posições. Ele já estava em décimo quando a bandeira amarela foi acionada na 13ª volta por causa de óleo na pista. Depois, o veterano ainda fez duas ultrapassagens e foi beneficiado pela punição a outro piloto, Marc Miller, para cruzar a linha de chegada em sétimo.

A vitória ficou com o brasileiro Rapha Matos, que ultrapassou Justin Haley, da Nascar Truck Series, na penúltima volta.

Em entrevista à revista americana “Racer”, Tracy explicou que o retorno ao automobilismo começou com uma brincadeira com o também ex-piloto da Indy e agora comentarista Townsend Bell sobre correr em Le Mans.

O canadense disse que Bell prometeu levá-lo à tradicional prova francesa caso ele tirasse a licença de piloto da FIA e fosse categorizado como silver (amador). Após essa conversa, Tracy usou as redes sociais para dizer que estava voltando atrás da aposentadoria. Foi quando recebeu uma mensagem da organização da Trans-Am, que o chamou para participar da prova deste fim de semana.

O campeão da Indy de 2003 disse que estava enferrujado, mas estava para curioso para ver se ainda tinha velocidade e vontade de correr. Animado com o resultado, ele já cogita participar de outras provas, embora não mais na Indy. Sua última participação na categoria foi na etapa de Las Vegas, de 2011, que matou Dan Wheldon.

Aliás, bem que a brincadeira com Townsend Bell poderia dar certo para que ele aparecesse em Le Mans ao lado de Alonso.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos de Paul Tracy e da Trans-Am em Road Atlanta. E clicar aqui para conferir o que aconteceu nas principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana.