Treinos da F4 Alemã 2018 em Hockenheimring

Com os brasileiros Enzo Fittipaldi e Gianluca Petecof, as equipes da F4 Alemã se reuniram em Hockenheimring, nesta quinta e sexta-feira, para dois dias de treinos de pré-temporada.

Mas dá para dizer que, na prática, foi um dia só, já que as atividades da tarde de quinta e da manhã de sexta foram prejudicadas pela chuva.

E quem levou a melhor foi o austríaco Mick Wishofer, com o tempo obtido logo na primeira sessão, na manhã de quinta.

No ano passado, Wishofer terminou a F4 Alemã em 23º, tendo marcado um único ponto, mas foi considerado o melhor novato do campeonato. Para este ano, apesar de ainda não ter sido anunciado oficialmente, trocou a Lechner pela US, equipe que tem Ralf Schumacher como um dos sócios.

Outro veterano, Andreas Estner ficou com a segunda colocação, sendo apenas 0s189 mais lento que Wishofer. O alemão, que estreou na categoria em 2016, renovou contrato com a Neuhauser e terá o irmão, Sebastian Estner, como companheiro.

Entre os brasileiros, Enzo Fittipaldi foi o mais rápido, com o terceiro tempo, 0s197 atrás do líder. O irmão de Pietro foi o mais veloz enquanto a pista esteve molhada e disse que, na tarde desta sexta, tinha condições de melhorar o tempo no fim da sessão, mas uma bandeira vermelha o impediu.

Fittipaldi segue na Prema, equipe pela qual disputou a F4 Italiana no ano passado. Ele também fez uma aparição na F4 Alemã, em Nurburgring, indo ao pódio com o terceiro lugar.

Gianluca Petecof, também da Prema e com apoio da Academia da Ferrari, veio logo em seguida, sendo o mais veloz entre os novatos. Neste ano, ele está fazendo a transição do kartismo para os monopostos.

O primeiro carro da Van Amersfoort, escuderia com maior número de pilotos – cinco – ficou na quinta colocação com Frederik Vesti, dinamarquês que renovou contrato com o time para este ano.

Também da esquadra holandesa, Charles Weerts, campeão da F4 dos Emirados Árabes, em fevereiro, foi o sexto, seguido por Liam Lawson, de 16 anos, revelação do automobilismo da Nova Zelândia e que no ano passado chegou até a fase final da seletiva do Road to Indy.

A questão para a temporada vai ser se Petecof e Lawson vão brigar pelo título, mesmo sendo menos experientes que seus principais adversários.

A oitava posição ficou com um dos carros da KDC, equipe de Monisha Kaltenborn, ex-chefe da Sauber na F1. Assim como a Mucke, a escuderia não identificou qual piloto estava em cada carro, uma prática comum em treinos privados. Para quem acompanhou da pista, não é muito difícil associar quem é quem, mas vendo só pelos resultados, não dá para nomear os competidores.

Com três carros em Hockenheimring, a KDC já assinou com Leonardo Lorandi (13º mais rápido) e Aaron di Comberti (filho da sócia de Kaltenborn). Na F4 Italiana, o time terá o russo Ilya Morosov, enquanto o experiente britânico Toby Sowery atua como piloto de testes.

Quanto à Mucke, que também alinhou três carros, os pilotos já anunciados são o israelense Ido Cohen e os alemães Niklas Krutten e Leon Kohler. O finlandês William Alatalo também andou pela equipe na F4 do Oriente Médio.

Voltando aos resultados dos treinos, Lirim Zendeli, outro que vai para o terceiro ano no campeonato e mais rápido na sexta-feira, ficou em nono, enquanto Oliver Caldwell, companheiro dos brasileiros na Prema, foi o décimo.

O curioso é que nos treinos privados da F4 Italiana, Caldwell foi constantemente mais veloz que os brasileiros, mas o jogo virou agora em Hockenheimring.

Quem também pilotou pela Prema foi Jack Doohan, filho de Mick Doohan, lenda da MotoGP. O australiano, que faz parte do Red Bull Junior Team, vai disputar algumas etapas da F4 Alemã como forma de ganhar quilometragem. Seu principal programa será na F4 Inglesa. Terminou em 14º.

E David Schumacher, filho de Ralf Schumacher, foi o 11º, andando pela equipe do pai. Os dois, assim como Petecof e Lawson, estão entre os estreantes deste ano.

Apenas 21 carros participaram das atividades desta semana, menos que os 26 em média de cada etapa ano passado. Em 2016, a categoria teve cerca de 40 inscritos, precisando haver pré-classificação em algumas corridas.

Entre as equipes ausentes estavam a Motopark e a Lechner, que até agora não anunciaram ninguém para 2018. Fora escuderias nanicas, que não costumam participar de treinos privados.

As equipes voltam à pista nos dias 26 e 27, em Oschersleben, para dois dias de treinos coletivos oficiais.

Confira a soma dos tempos dos treinos da F4 Alemã em Hockenheimring:

Treinos da F4 Alemã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s