Para comemorar o sexto título na Motovelocidade, Marc Márquez teve a chance de guiar um carro de uma das principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana: o da F3 Japonesa.

O teste aconteceu em Motegi, pista que recebeu neste domingo, dia 3, o evento de fim de ano da Honda, onde os principais pilotos da montadora se exibem para os fãs.

Diversos outros nomes famosos participaram da apresentação, como Takuma Sato, Dani Pedrosa, Pierre Gasly, Stoffel Vandoorne e Jenson Button, que anunciou ida para o SuperGT na próxima temporada.

O teste de Márquez (com direito a equipamento com o número 93) aconteceu no sábado, um dia antes do evento. Assista abaixo.

Não é incomum pilotos da MotoGP guiarem monopostos após conquistarem títulos (embora o diferente para Márquez tenha sido andar em um F3, não em um F1 – talvez a parceria da Honda com a Toro Rosso no ano que vem facilite as coisas).

Desses que trocaram as duas pelas quatro rodas ao menos por um dia, o caso mais famoso é o de Valentino Rossi. Entre 2006 e 2008, houve conversas bastante adiantadas com a Ferrari, mas a troca de Michael Schumacher por Kimi Raikkonen, Felipe Massa ter se tornado um piloto de ponta e o fim de testes ao longo da temporada e assinatura de um novo contrato com a Yamaha fizeram com que o italiano continuasse na MotoGP.

Quem também testou na F1 foi Jorge Lorenzo. Aconteceu em 2016, como prêmio pela taça obtida no ano anterior e a convite da Monster, empresa de energéticos que patrocina tanto ele quanto a Mercedes.

Mas talvez o caso mais curioso seja o de Pol Espargaró, hoje piloto da KTM na MotoGP.

Quando Espargaró garantiu a taça da Moto2 em 2013, combinou com Sito Pons, chefe de sua equipe, para testar um dos carros da World Series do time como prêmio.

Na época, a Pons competia tanto nas duas quanto nas quatro rodas. O dirigente, claro, concordou. Mas o que era para ser uma comemoração acabou doendo no bolso. Isso porque Espargaró bateu o carro, destruindo-o.