Com a ida de Matheus Leist para a Foyt em 2018, como cravado pelo jornalista Americo Teixeira Jr, segue a escrita que todos os brasileiros campeões da F3 Inglesa conseguiram chegar à F1 ou a Indy.

E muitos deles disputaram as duas categorias. Veja o que aconteceu com os 13 campeões da F3 Inglesa:

Emerson Fittipaldi – Campeão da F3 Inglesa em 1969, ficou conhecido por ter sido o brasileiro que abriu caminho tanto na F1 quanto na Indy para as gerações seguintes.

Na F1: correu por Lotus, McLaren e Copersucar. Venceu 14 vezes, conquistou seis poles e foi campeão em 1972 e 1974.

Na Indy: correu por Patrick, Penske e Hogan Penske. Venceu 22 vezes, incluindo duas Indy 500 e foi campeão em 1989.

José Carlos Pace – Vencedor da F3 Inglesa em em 1970, morreu aos 32 anos, quando ainda estava no auge da carreira. Hoje dá nome a Interlagos.

Na F1: andou por Williams, Surtees e Brabham. Disputou 72 corridas e conquistou uma vitória e uma pole.

Nelson Piquet – Foi campeão da F3 Inglesa em 1978.

Na F1: competiu por Ensign, Brabham, Williams, Lotus e Benetton. Venceu 23 provas, largou na pole 24 vezes, além dos títulos de 1981, 1983 e 1987.

Na Indy: disputou as 500 Milhas de Indianápolis, pela Menard, e sofreu um grave acidente em 1992. Voltou no ano seguinte e foi penúltimo.

Chico Serra – Vencedor da F3 Inglesa em 1979, ficou mais conhecido pela carreira na Stock Car.

Na F1: correu por Copersucar e Arrows. Participou de 18 provas e marcou um único ponto, no GP da Bélgica, de 1982, em Zolder.

Ayrton Senna – Foi campeão da F3 Inglesa em 1983, após um duelo com Martin Brundle, que durou até as últimas etapas.

Na F1: correu por Toleman, Lotus, McLaren e Williams. Venceu 41 vezes e largou na pole em 65 oportunidades. Foi campeão em 1988, 1990 e 1991. Morreu em 1994, aos 34 anos.

Na Indy: participou de um treino pela Penske, em 1992, para pressionar a McLaren a fazer um novo contrato para a temporada seguinte.

Maurício Gugelmin – Vencedor da F3 Inglesa em 1985; de mais curioso, foi “interpretado” por Sylvester Stallone no filme “Driven”, que tinha a Indy como pano de fundo.

Na F1: correu por March (Leyton House) e Jordan. Disputou 74 provas, somou dez pontos e teve o terceiro lugar no GP do Brasil de 1989 como melhor resultado.

Na Indy: andou por Dick Simon, Ganassi e PacWest, tendo conquistado uma vitória, em Vancouver, em 1997. Foram 147 corridas e duas poles, sendo uma no Rio, também em 1997.

Rubens Barrichello – Campeão da F3 Inglesa em 1991 ao superar David Coulthard, se tornou o piloto com mais GPs disputados na F1: 322.

Na F1: passou por Jordan, Stewart, Ferrari, Honda, Brawn e Williams. Conquistou 11 vitórias, 14 poles e foi vice-campeão em 2002 e 2004.

Na Indy: andou na KV em 2012 e teve o quarto lugar em Sonoma como melhor resultado.

Gil de Ferran – Vencedor da F3 Inglesa em 1993, foi o primeiro dos brasileiros campeões da categoria britânica a não ter disputado a F1.

Na F1: testou por equipes como Williams e Footwork, mas não foi titular.

Na Indy: andou por Hall, Walker e Penske. Venceu 12 vezes em 160 corridas e largou na pole em 21 oportunidades. Campeão em 2000 e 2001, triunfou nas 500 Milhas de Indianápolis em 2003.

Mario Haberfeld – Foi campeão da F3 Inglesa em 1998 competindo contra uma legião de brasileiros: Enrique Bernoldi foi o vice, Luciano Burti terminou em terceiro e Ricardo Maurício, em sétimo; não se firmou na F3000.

Na F1: testou por Stewart, mas não teve vaga de titular.

Na Indy: correu por Conquest e Walker. Em 32 provas, teve o quarto lugar na estreia, na etapa de São Petersburgo de 2003, e em Toronto, no ano seguinte, como melhores resultados.

Antonio Pizzonia – Venceu a F3 Inglesa em 2000.

Na F1: andou por Jaguar e Williams, mas nunca disputou uma temporada completa. Correu em 20 GPs, de 2003 a 2005, e teve quatro sétimos lugares como melhor resultado.

Na Indy: correu em quatro etapas em 2006 pela Rocketsports e participou da última prova da Champ Car, em Long Beach, em 2008; melhor resultado foi o décimo posto na estreia, em Long Beach, repetido em Surfers Paradise.

Nelsinho Piquet – Campeão da F3 Inglesa em 2004 correndo pela equipe do pai; foi o único dos vencedores da F3 Inglesa a andar na Nascar.

Na F1: correu pela Renault em 2008 e 2009 em 28 etapas. Conseguiu o segundo lugar no GP da Alemanha de 2008 como melhor resultado. Acabou marcado por bater propositalmente no GP de Cingapura do mesmo ano para que o companheiro de equipe vencesse.

Na Indy: curiosamente, nunca correu na Indy, mas disputou a etapa de Toronto da Indy Lights, em 2015, onde largou na pole, mas abandonou ao ser atingido por outro carro.

Felipe Nasr – Foi campeão da F3 Inglesa em 2011 correndo contra Kevin Magnussen.

Na F1: andou pela Sauber em 2015 e 2016. Disputou 39 provas, somou 29 pontos e teve o quinto lugar no GP da Austrália, logo na estreia, como melhor resultado.

Matheus Leist – Primeiro campeão da nova F3 Inglesa, uma espécie de F4 com mais potência, em 2015.

Na Indy: será companheiro de Tony Kanaan na Foyt.