Brendon Hartley e o jejum da Red Bull na F-Renault

Ainda sobre a escolha da Toro Rosso por Brendon Hartley para substituir no GP dos EUA Pierre Gasly – que disputa o título da Super Formula no próximo fim de semana –, o neozelandês não é um desconhecido para a Red Bull.

Ele fez parte do Junior Team de 2006 a 2010 e chegou a ser piloto de testes da própria Red Bull.

Hartley também é o último piloto apoiado pela marca de energéticos a ter sido campeão da F-Renault Eurocup. Foi em 2007, quando conquistou três poles e quatro vitórias em sete etapas para levantar a taça com 32 pontos de vantagem pra o britânico Jon Lancaster.

Aquele grid também contava com nomes como Charles Pic e Roberto Merhi, ambos com passagem pela F1, o brasileiro Felipe Lapenna (hoje na Stock Car) e com Jaime Alguersuari, parceiro de Hartley no Junior Team e que mais tarde ficaria com a vaga na F1 no lugar do neozelandês.

Desde então, os pilotos da Red Bull tem acumulado muitos vice-campeonatos na categoria.

No ano seguinte, Daniel Ricciardo foi vice de Valtteri Bottas, enquanto Jean-Éric Vergne terminou a temporada 2009 com dez pontos a menos que Albert Costa, o campeão.

Em 2010, a fabricante concentrou os investimentos na F-BMW e só voltou à F-Renault no temporada de 2011, com Carlos Sainz sendo o vice de Robin Frijns. Depois, em 2012, foi a vez de Stoffel Vandoorne superar, por dez pontos, Daniil Kvyat na luta pelo título.

Aliás, a disputa entre Vandoorne e Kvyat foi até a última etapa, disputada debaixo de muita chuva em Barcelona. O belga rodou logo no começo e precisava torcer para que o adversário terminasse no máximo em quarto.

Kvyat liderava com os pneus para pista molhada, mas o asfalto foi secando, e o russo caiu para oitavo. A vitória ficou com Oliver Rowland, hoje na F2, enquanto Felipe Fraga, atual campeão da Stock Car, completou o pódio.

Quanto ao campeão de 2013 da F-Renault há uma curiosidade. Alguém vai ver que foi Pierre Gasly, justamente quem abrirá espaço para Hartley fazer a estreia na F1. Então como o neozelandês foi o último representante da Red Bull a vencer o certame?

É que foi justamente pelo título de 2013 que a empresa de energéticos passou a apoiar o francês.

Depois a Red Bull colocou seus pupilos em outras categorias e só voltou à F-Renault em 2017, com Dan Ticktum (atualmente sétimo na tabela), Richard Verschoor (décimo) e Neil Verhaegen (11º). Nenhum, portanto, com chances de encerrar o jejum neste ano.

Se bem que hoje em dia a falta de títulos do Junior Team não é só na F-Renault. As últimas taças conquistadas foram a GP3, em 2014, com Alex Lynn, e as F4 Norte-Europeia e Espanhola, ambas no ano passado, com Verschoor.

De repente dava para colocar Hartley na F-Renault ano que vem que resolve.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s