A pior melhor categoria do Road to Indy 2017

Das três categorias do programa Road to Indy, dá para dizer que a Pro Mazda é que está na pior situação.

Com grids enxutos nos últimos anos, apenas 14 carros tomaram parte na etapa de São Petersburgo, neste fim de semana. E olha que a organização tem se esforçado para atrair pilotos e equipes. Houve aumento na premiação, diminuição de custos e o calendário foi encolhido para apenas 12 corridas, quatro a menos que no ano passado.

As medidas também foram um reflexo da mudança do carro da categoria. No ano que vem a Pro Mazda estreia um equipamento novo, então para a maior parte dos times interessados não fazia sentido investir para 2017.

E isso se refletiu no grid, no qual mais das metade dos pilotos pode ser considerada amadora.

Para os brasileiros, não importa. Os dois representantes do país, Victor Franzoni e Carlos Cunha Filho, são fortes concorrentes ao título, embora o favoritismo seja do australiano Anthony Martin.

Franzoni voltou à Pro Mazda, categoria que já havia disputado em 2015, depois de ter sido o terceiro colocado na USF2000 na temporada passada. Por falta de dinheiro, a carreira do brasileiro tem sido nesse elevador, sempre em busca de uma equipe em que possa correr, mesmo com recursos limitados. Tanto que mal participou dos treinos de pré-temporada pela Juncos, equipe com a qual corre neste ano.

Cunha teve uma trajetória diferente. Pouco badalado antes de fazer a estreia nos monopostos, há dois anos, surpreendeu com o bom desempenho na F3 Brasil, onde tinha o equipamento preparado pela Cesário.

No meio do ano passado, largou a F3 para se preparar para a transição ao automobilismo europeu, mas surpreendeu ao anunciar que correria na Pro Mazda, nos EUA, em 2017. Mesmo sendo o mais inexperiente do trio da equipe Pelfrey é o mais talentoso. Pode ser questão de tempo para conquistar a primeira vitória na categoria.

O problema para os dois brasileiros é que menos etapas em 2017 significa menos tempo para uma virada. Ano passado, Aaron Telitz, um novato, conseguiu se recuperar de um início fraco e superar o companheiro de equipe Pato O’Ward para ser campeão. Agora, Franzoni e Cunha precisam o quanto antes tirarem pontos de Martin se quiserem ficar com o título.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da Pro Mazda em St. Pete, assim como o que aconteceu nas principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s