Felipe Massa

A aposentadoria de Felipe Massa da F1

A primeira corrida a que me lembro de ter assistido de Felipe Massa foi a última etapa da F-Chevrolet, categoria que ele disputou em 1999, ainda no Brasil.

Quer dizer, assistido mais ou menos. Massa, já campeão, abandonou a prova logo no começo. Enquanto os comentaristas diziam como ele era bom, gente como Vitor Meira e Fábio Carbone disputava a primeira colocação.

Guardei o nome do campeão porque não tinham muitos pilotos com o mesmo nome que eu na época.

Com o título, ele foi para a Europa e venceu três campeonatos em dois anos: a F-Renault Italiana, a F-Renault Eurocup e F3000 Europeia, que depois se tornou a AutoGP.

O desempenho foi tão bom que fez a Ferrari, que só contrata veteranos, assinar com ele. Primeiro, foi colocado na Sauber e, em 2006, teve a grande chance de correr em Maranello porque Rubens Barrichello foi embora um ano antes do fim do contrato.

Teve uma passagem marcante pela escuderia italiana, com 11 vitórias, um grave acidente na Hungria, diversas polêmicas na época em que dividiu o time com Fernando Alonso e tendo sido campeão mundial por 28 segundos.

Mesmo na Europa, nunca deixou de olhar para o Brasil. Criou o Racing Festival (e a F-Futuro), e o Desafio das Estrelas, que chegou a trazer nomes como Jeff Gordon, Michael Schumacher e Fernando Alonso para o país fora dos compromissos de F1.

Querido na Fiat e na Ferrari, acabou saindo da equipe quando Alonso ameaçava ir para a Red Bull. Para não ficar sem um campeão mundial, Luca Di Montezemolo recontratou Kimi Raikkonen, e Massa reencontrou a felicidade na Williams, onde conquistou uma pole e de alguma forma voltou a brigar por vitórias.

Para não ser mais um na F1, resolveu parar no fim deste ano, quando deverá completar 250 corridas na categoria.

Há duas razões que levam alguém a interromper a carreira ainda quando tem lenha para queimar. A primeira é estar de saco cheio do que faz. Viajar para 20 corridas no ano (ele mora em Mônaco) deve ser chatíssimo depois de um tempo.

O outro é manter o mito. Massa teve uma carreira de respeito na F1. Melhor terminar enquanto luta pelos pontos, não quando eventualmente um dia estiver apenas brigando para chegar ao Q2.

Quanto ao futuro, meu palpite é que ele vai correr de Ferrari no WEC. São poucas provas e permitirá que ele continue morando em Mônaco, principalmente enquanto o filho estiver terminando os estudos.

Anúncios

Um comentário sobre “A aposentadoria de Felipe Massa da F1

  1. Eu acho que tambem estava em 99 em Interlagos e vi Massa correndo, nao lembro em que posicao ele largou, mas lembro que estava perto do carro dele no grid e achei muito maneiro o capacete com um “X” de cada lado. Foi minha primeira vez em Interlagos, na epoca do Chevrolet Challenge, com Stock Car, Formula Chevrolet e Copa Corsa, alem de uma corrida de moto e uma apresentacao fantástica de Carlos Cunha. Grande evento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s