Para entender a nova F3 Inglesa

A F3 Inglesa voltou com grid cheio em 2016
A F3 Inglesa voltou com grid cheio em 2016

É verdade que a F3 Inglesa começou neste fim de semana, com a primeira etapa da temporada 2016 sendo disputada em Snetterton.

Mas, cuidado, apesar do nome essa não é a mesma F3 Inglesa que teve 12 brasileiros campeões desde a década de 1960 e fechou as portas no fim de 2014.

Esse novo campeonato é organizado pelo ex-piloto de F1 Jonathan Palmer, que já era o responsável pela F4 Inglesa.

Como no ano passado surgiu uma nova F4 no Reino Unido, a F4 MSA, Palmer percebeu que estava atrás na concorrência e resolveu investir em um carro mais potente para a sua F4.

Matheus Leist já venceu uma na F3 Inglesa
Matheus Leist já venceu uma na nova F3 Inglesa

A FIA, que há dois anos fez de tudo para acabar com as F3 da Europa, tirando a Europeia, também mudou de opinião.

Gerhard Berger foi embora como responsável pelas categorias de base da entidade para a chegada de Stefano Domenicali, que tem um perfil mais negociador.

Domenicali percebeu que havia um problema na ponte entre as categorias da FIA. É que apenas dois campeões das F4 do ano passado, Niko Kari (Norte-Europeia) e Ralf Aron (Italiana), fizeram a transição para a F3 Euro.

A solução do italiano é promover novas F3 nacionais, para que os pilotos que saírem das F4 tenham opções de onde correr nos monopostos antes de se dedicarem a categorias de GT e de turismo.

Assim, a FIA deu sinal verde para que Palmer passasse a chamar sua F4 de F3, embora não tenha nada a ver com a F3 Europeia ou com o campeonato que corre aqui no Brasil. Seria mais justo pensar como uma Super F4 que uma F3.

E se a F3 Inglesa não é uma F3 de verdade, o melhor piloto também não é o favorito ao título.

Lando Norris é o favorito, mas não vai correr todas as etapas
Lando Norris é o favorito, mas não vai correr todas as etapas

Ninguém duvida que Lando Norris, atual vencedor da F4 MSA e da Toyota Racing Series, é o principal nome do grid. Mas como não vai participar de duas etapas, por conflitos de datas com a F-Renault Eurocup (campeonato do qual também vai tomar parte), ele vai precisar contar com uma inconsistência muito grande dos adversários se quiser ser campeão.

Só que parece haver dois níveis de força muito claros na F3 Inglesa, com os pilotos vindos da F4 MSA sendo considerados mais fortes.

Norris, por exemplo, terá Ricky Collard, seu adversário na luta pelo título da F4 MSA do ano passado, como companheiro de equipe na Carlin.

Toby Sowery, antecessor de Pietro Fittipaldi como campeão do MRF Challenge, é outro bom nome. Depois de meio ano em 2015 na F4 MSA, ele assinou pela Lanam, que levou Jake Hughes e George Russell ao título da F4 Inglesa em seus primeiros anos.

Tarun Reddy corre pela Fortec, enquanto Enaam Ahmed, campeão mundial de kart KFJ em 2014, escolheu de forma curiosa a mediana Douglas. Levando em conta que ele lidera o campeonato após a primeira etapa, parece ter sido uma boa decisão.

Ele é companheiro de Thomas Randle, vindo da F4 Australiana e que ganhou certo destaque nos dois últimos anos por ter andado na Toyota Racing Series.

O grid ainda tem dois brasileiros: Matheus Leist e Enzo Bortoleto, ambos na Double R.

Os dois contam com a equipe de Anthony Hieatt este ano estar fora da F3 Euro, com a F3 Inglesa sendo seu principal programa. Leist, que andou na F4 MSA no ano passado, corre por fora na luta pelo título e vai precisar de muita consistência para ficar com a taça.

Bortoleto volta ao campeonato depois de ter tomado parte do torneio de inverno de 2014 pela equipe Petroball, que fechou as portas alguns meses depois.

No entanto, ele agora encontrará um carro muito mais potente que o daquele torneio e um grid mais qualificado. Vai ser difícil conquistar bons resultados após um ano longe dos monopostos, portanto.

Os dois são companheiros de equipe do finlandês Aleksanteri Honkavuori, um dos bons nomes da F4 Norte-Europeia de 2015.

Quanto aos pilotos que continuaram na F4 Inglesa, o trio da HHC, que levou Will Palmer ao título do ano passado, parece ser o mais habilidoso. Omar Ismail conquistou bons resultados na categoria, apesar de ter perdido as primeiras etapas de 2015 por causa da idade.

Sisa Ngebulana também mostrou um ótimo ritmo de corrida, embora tenha devido um pouco nas classificações e Ben Hingeley é o atual vencedor da F-Jedi, um campeonato que não tem nada de Star Wars, mas usa motores de moto em monopostos no Reino Unido. É uma boa alternativa para diversos pilotos amadores do país.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da nova F3 Inglesa em Snetterton.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s