15 carros até agora na F3 Brasil 2016

Thiago Vivacqua é por enquanto o principal nome da F3 Brasil pós-Pedro Piquet
Thiago Vivacqua é por enquanto o principal nome da F3 Brasil pós-Pedro Piquet

Principal categoria do automobilismo brasileiro, a F3 Brasil divulgou nesta sexta-feira, dia 25, que 15 piloto estão confirmados para a rodada de abertura da temporada 2016.

A grande novidade é a chegada de Thiago Vivacqua, terceiro colocado na F-Renault Alps do ano passado e que fez a carreira toda na Europa.

O carioca, que chegou a treinar pela Campos na Euroformula Open durante o inverno europeu, vai competir pela Hitech. Ele terá como companheiros de equipe Yurik Carvalho, vindo do kart e com o patrocínio da Shell, e Pedro Caland.

Caland, aliás, testou com o carro da F3 no ano passado, mas acabou se dedicando à F4 Sudamericana. O brasiliense, aliás, já afirmou que planeja voltar para o certame sul-americano (que só terá corridas no Uruguai) neste ano.

Atual bicampeã com Pedro Piquet, a Cesário tem dois velhos conhecidos confirmados. Vice-campeão do ano passado, Matheus Iorio está de volta à categoria, assim como Guilherme Samaia, atual vencedor da divisão Light.

A equipe também prepara os carros da CF3. A esquadria mais uma vez terá Carlos Cunha Filho, de 16 anos, um dos destaques de 2015, além de Christian Hahn, vindo da Hitech.

A PropCar promoveu Matheus Muniz e Igor Fraga da divisão Light, enquanto terá Renan Pietrowski (que já havia estreado no fim do ano passado pela RR) em um F301. Artur Fortunato segue com a própria equipe.

A RR, que não teve nenhum carro em todas as etapas de 2015, vem com três novidades. Luiz Felipe Branquinho e Leonnardo Raucci (irmão mais novo de Raphael e Giuliano) vão competir na divisão principal após fazerem carreira no kartismo, com Leandro Guedes, outro ex-F4 Sudam, na Light.

Curioso como o piloto mais veterano do trio é que estará com o carro menos potente, segundo a lista divulgada.

Equipes como Cesário e Fortunato já anunciaram que têm outros carros à disposição, mas dependem da chegada de algum piloto com patrocínio. Da mesma forma, não seria surpresa ver Leonardo de Souza e sua equipe Kemba em algumas etapas.

Neste ano, o primeiro sem Pedro Piquet, atendendo a um pedido das equipes, a temporada da F3 Brasil começa mais tarde, para que não haja intervalos tão grandes sem corridas. A rodada de abertura está marcada para o Velopark, nos dias 9 e 10 de abril.

Apesar dos altos e baixos no número de inscritos no ano passado, a categoria segue com algum moral na Europa depois de ter revelado nomes como o próprio Piquet, Sergio Sette Câmara, Vitor Baptista e Matheus Leist em seu ano de estreia.

Anúncios

5 comentários sobre “15 carros até agora na F3 Brasil 2016

    1. Não sei. Acho que ir para um carro mais potente é sempre um passo à frente. Minha preocupação seria por que ele voltou ao Brasil se tinha chances de ser competitivo fora dele. Imagino que seja para não ficar sem correr em um ano de crise, o que me parece uma boa ideia.

  1. Felipe, os dois anos do Piquet na F3 Brasil valem pra regra que limita á três anos na F3 ou essa contagem se restringe a F3 Euro?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s