Por que se deve ter um campeonato só para pilotas

Danica foi correr sim
Danica foi correr sim

Assistindo à Nascar no último domingo, vi um torcedor mandando uma mensagem para a transmissão perguntando, em forma de piada, se Danica Patrick havia ido correr naquele dia, por ela não estar aparecendo nas brigas pelas primeiras colocações.

A americana largou em 18º e terminou em 21º. Esteve na frente de 18 pilotos, portanto.

Mas, por algum motivo, ninguém perguntou se Brian Scott, Clint Bowyer ou Aric Almirola, que terminaram atrás dela, estavam correndo.

É óbvio que a intenção do torcedor era debochar de Danica. A mensagem que ele quis passar era, se a pilota não consegue correr com destaque constantemente, então ela não é boa o bastante para estar na Nascar.

E quem é alvo de uma mensagem assim fica constrangido. E não falo apenas de Danica.Qualquer pilota que estivesse assistindo à corrida entendeu que será motivo de piadas se não conseguir vencer suas corridas.

Não importa se ela anda no meio do pelotão porque está aprendendo ou quantos adversários conseguiu ultrapassar. Ela será motivo de risos.

Se é esse o ambiente que uma mulher encontra, por que alguma iria tentar seguir carreira no automobilismo, investindo milhões, rumo à F1?

Carmen Jordá, reserva da Lotus, se tornou motivo de piadas no começo do ano porque um piloto disse que ela tomava 12s no simulador. Na verdade, tanto faz se era verdade ou não. Se não fosse a falta de desempenho, encontrariam outro motivo para constrangê-la, assim como foi feito com Danica.

Ou com Susie Wolff, Bia Figueiredo e tantas outras.

Por causa desse ambiente pouco acolhedor para as mulheres, que acho uma categoria só para elas uma boa ideia.

A ideia não é separar o automobilismo entre homens e mulheres. Mas incentivar novas meninas a começar no esporte a motor mostrando que há um lugar onde elas não sofrerão com mentalidade primitiva de alguns envolvidos.

Depois, as que mais se destacarem poderiam ir para as principais categorias do mundo melhor preparadas.

Claro que no mundo ideal todo mundo deveria correr junto. Mas não estamos nele. A ideia é não desperdiçar talentos a partir de atitudes no mínimo constrangedoras, como o comentário do torcedor da Nascar.

E também seria interessante que não dessem corda para quem manda mensagens assim.

Anúncios

Um comentário sobre “Por que se deve ter um campeonato só para pilotas

  1. Ih Felipe.
    Não concordo com você. rsrs

    Antes de mais nada,quero deixar claro que não sou preconceituoso ou machista.

    Esse é um assunto bem polêmico então,para não dar margem a nenhum julgamento,acho que vale esclarecer que não tenho qualquer problema com esse tipo de parcialidade imbecil

    Vamos ao que interessa agora…
    hahaha

    Não acho que devam ser feitos campeonatos exclusivos para mulheres.

    Considero homens e mulheres igualmente aptos a pilotar um carro de corrida.

    O automobilismo inclusive é um dos poucos esportes em que homens e mulheres podem disputar em igualdade de condições.
    Por que impedir e ignorar essa equivalência fazendo campeonatos exclusivos para mulheres?

    É possível que ainda existam casos de preconceito no automobilismo.
    Não duvido de que em algum momento,no seu início de carreira,Patrick ou Susie Wolff (ou provavelmente Stoddart na época) tenham sido prejudicadas ou preteridas por causa de algum preconceito.

    Mas penso que isso possa ter sido caso raro.

    O mundo do automobilismo é extremamente marqueteiro.
    Uma mulher correndo bem e deixando marmanjos comendo poeira é algo que chama a atenção.

    Se chama a atenção,tem mais visibilidade,mais mídia,mais dinheiro…

    Uma coisa leva a outra.

    Não tenha dúvida de que se aprecesse uma mulher boa de braço o suficiente para andar bem na F1,várias equipes viriam babando em cima dela.

    O próprio Ecclestone,apesar das costumeiras declarações machistas,sabe como a raposa que é,do retorno que traria uma mulher na F1.

    Imagina a visibilidade,o destaque na mídia,os patrocinadores que surgiriam com esse fato.

    Com Hamilton aconteceu algo parecido por ser o 1o negro (o que não era verdade) na F1.

    A questão é que até agora nenhuma mulher mostrou nas categorias de base condições de estar na F1 ou de brigar por título nas categorias top.

    Voce que acompanha diversos campeonatos,Felipe,sabe que existem várias mulheres em vários certames.

    Nenhuma (!!) corre sequer no pelotão da frente nos campeonatos que disputam.

    Simona de Silvestro teve bons resultados nos EUA,mas não passou disso.
    Bia Figueiredo idem.

    Beitske Visser surgiu bem,mas logo que foi correr em categorias mais fortes desapareceu.

    Carmen Jordá,Tatiana Calderon,Michela Cerruti,Samin Gomez,Alice Powell…

    Nenhuma com resultados convincentes.

    Volto a dizer,uma das grandes virtudes do esporte a motor é a possibilidade de termos as mesmas condições para homens e mulheres.

    A Lotus empregou a Carmen Jorda ano passado.

    Se alguma mulher mostrar bons resultados e talento para estar na F1,terá muitas portas abertas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s