Próxima fase

Bryan Heitkotter foi um dos destaques da Pirelli World Challenge no Circuito das Américas
Bryan Heitkotter foi um dos destaques da Pirelli World Challenge no Circuito das Américas

A Nissan já havia diminuído, para 2016, a participação dos pilotos da GT Academy, aqueles que foram descobertos no videogame, em seus carros de fábrica.

Com relação ao ano passado, além de Matt Simmons e Romain Sarazin (vencedores da seletiva de 2015), a montadora terá Jann Mardenborough, Lucas Ordoñez, Ricardo Sánchez e Bryan Heitkotter.

E, no que depender de Heitkotter, a Nissan tem bons motivos para continuar a investir nos Estados Unidos.

É que o piloto de 35 anos foi um dos destaques da rodada de abertura da Pirelli World Challenge, disputada neste fim de semana no Circuito das Americas, em Austin, no Texas.

A ideia era que a prova servisse para uma espécie de Mundial de GT. Mas como poucas equipes europeias se inscreveram (os treinos da Blancpain começam nesta semana e seria um pesadelo logístico), apenas os times da PWC correram.

Na primeira bateria, a primeira da categoria com largada em movimento, Heitkotter pulou de sexto direto para a ponta no começo. Ele conseguiu abrir uma boa vantagem para os adversários, mas pouco a pouco Patrick Long foi se aproximando.

O piloto de fábrica da Porsche conseguiu a ultrapassagem quando restavam cerca de 15 minutos de corrida e seguiu na frente para receber a bandeira quadriculada com uma vantagem de 2s1. Heitkotter foi o segundo.

No domingo, o piloto da Nissan largou na pole por ter marcado a melhor volta da prova no dia anterior. Durante a corrida, o americano brigou com o companheiro James Davison (que de vez em quando aparece na Indy) até o australiano receber 10s de punição por ter ser envolvido em um acidente.

Heitkotter, assim, liderou até quando faltavam 17 dos 55 minutos da disputa, mas teve um pneu furado e acabou ultrapassado por Johnny O’Connell, que liderou a dobradinha da Cadillac. O piloto da Nissan acabou em 19º por ter precisado, quase um minuto atrás do vencedor, por ter precisado trocar os pneus.

O curioso é que tanto Heitkotter quanto Davison correm com o Nissan GT-R com as especificações de 2014. A equipe ainda não conseguiu vender as máquinas para comprar a de 2015.

No ano passado, Hetikotter disputava na divisão para amadores da Pirelli World Challenge, até conquistar o terceiro lugar na etapa de Mid-Ohio. Pelas regras da categoria, se um piloto consegue um pódio ou dois top-5 na classificação geral, ele deixa de ser considerado amador e passa a competir com os profissionais. No caso do americano, vendo o desempenho nesta rodada de abertura, parece ter sido a decisão correta.

A Pirelli World Challenge volta à pista já no próximo fim de semana, em São Petersburgo, como preliminar da Indy.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da PWC no COTA, assim como das principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s