A Nascar da Oceania

O Toyota de Jason Bargwanna
O Toyota de Jason Bargwanna

A Nova Zelândia está vivendo uma temporada histórica em sua principal categoria de turismo. Após três anos, com três categorias diferentes correndo separadas, em 2015 eles se fundiram, dando origem à  NZ Touring Cars, a V8 Supercars neozelandesa.

A fusão, no entanto, foi bastante agitada. No ano passado, a federação de automobilismo local chegou a mandar uma carta para os donos dos três campeonatos dizendo que eles poderiam até mesmo ser proibidos de correr em algumas pistas caso não se unissem novamente.

Os donos dos circuitos queriam aproveitar o bom momento dos neozelandeses na V8 Supercars australiana, com Shane van Gisbergen, Fabian Coulthard e Scott McLaughlin brigando por vitórias nos dois últimos anos, para lucrar.

No entanto, por causa dos grids cada vez menores dos certames da Nova Zelândia e da consequente falta de interesse do público, passaram a pressionaram a federação por uma solução – a união dos torneios.

Após diversas reuniões, chegaram a um acordo. Em abril de 2015, os campeonatos (V8 SuperTourers e NZV8) participaram de uma etapa em conjunto em Pukekohe, como preliminar da V8 Supercars australiana, e desde o segundo semestre do ano passado estão competindo juntas, batalhando pelos mesmos pontos.

Com a fusão, os equipamentos dos dois torneios passaram a ser permitidos, o que gerou algumas situações curiosas.

Uma deles é o Toyota Camry, pilotado por Jason Bargwanna (foto acima). O neozelandês de 43 anos guiava a máquina na NZV8, que era considerada uma prima pobre do campeonato australiano

Só que a montadora japonesa não corre na Austrália. Na verdade, como a Toyota é ligada ao automobilismo da Nova Zelândia, fornecendo equipamento para dois campeonatos, fazia sentido construírem um carro V8 apenas para correr em terras kiwis.

Assim, enquanto a V8 Supercars australiana tem equipamentos mais avançados e desenvolvidos (além de cinco montadoras presentes), a versão neozelandesa, mais pobre, consegue se vangloriar de ter um carro exclusivo.

Levando em conta que o Chevrolet SS, usado na Nascar, é feito com base no Holden, que compete nos dois países do hemisfério sul, a V8 neozelandesa acaba sendo a Nascar da Oceania, ao contar também com um Camry e com a Ford, da mesma forma que o campeonato americano.

A próxima etapa da NZ Touring Cars acontece nos dias 16 e 17 de janeiro em Ruapuna. A categoria fará parte da Agenda da velocidade aqui no blog, caso tenha horários e resultados disponíveis, apenas porque não está acontecendo mais nada de automobilismo no planeta.

Por fim, uma curiosidade, após três etapas, o certame é liderado por Simon Evans, irmão de Mitch Evans, da GP2.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s