A Audi de novo trocou a posição de seus pilotos
A Audi de novo trocou a posição de seus pilotos

Uma das principais categorias do mundo, o WEC (Mundial de Endurance) vai sofrendo uma crise ética neste fim de temporada 2015.

É que as montadoras da LMP1, de olho no título, passaram a fazer uso das ordens de equipe para beneficiar suas principais duplas.

No último fim de semana, em Fuji, em poucas voltas, Porsche e Audi ordenaram que os pilotos alternassem posições para ajudar os times que estão mais bem colocados na tabela de pontos.

Assim, o trio formado por Timo Bernhard, Mark Webber e Brendon Hartley conquistou a vitória depois que Neel Jani, no outro Porsche, abriu passagem para os novos líderes do campeonato.

Mais atrás, a Audi – que em termos de ordens de equipe vem tendo um 2015 bastante tumultuado – também inverteu a posição dos carros, para que o time composto por André Lotterer, Benoit Tréluyer e Marcel Fassler fechasse em terceiro. Assim, os três estão apenas um ponto atrás da parceria da Porsche.

Essa, aliás, foi a segunda vez nas últimas três provas que a Audi pediu para que o segundo carro da equipe trocassem de posição com os companheiros.

Pelo dinheiro que essas montadoras colocam no WEC, dá para entender que elas querem garantir o melhor resultado possível no fim do ano, isto é, o título. No entanto, é difícil convencer alguém a assistir uma prova de longa duração se nos dez minutos finais os dirigentes ignoram o que aconteceu nas outras 5h50min de corrida.

Para uma categoria que é defendida pelos fãs como automobilismo de verdade e longe das politicagens da F1, o excesso de manipulação de resultados tem tornado as provas irrelevantes, diminuindo também a reputação do certame.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos do WEC em Fuji, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no último fim de semana.