Mercado de pilotos da F1 2016

Nico Hulkenberg já garantiu uma vaga em 2016
Nico Hulkenberg já garantiu uma vaga em 2016

O mercado de pilotos para a temporada 2016 da F1 está sendo um dos menos movimentados dos últimos anos.

É o contrário do que aconteceu na última temporada, quando apenas Williams, Lotus e, claro, Mercedes mantiveram as duplas entre as principais equipes.

Confira abaixo o que ainda pode mudar entre pilotos e equipes para a F1 2016:

McLaren

Se levarmos em conta o que aconteceu no último ano, quando a equipe de Woking anunciou a manutenção de Jenson Button para 2015 apenas em dezembro, essa pode ser a última vaga a ser definida para a próxima temporada.

E o chefe do time inglês, Eric Boullier, já disse que a tendência é renovar o contrato de Button.

No entanto, o site Italiaracing cravou que Stoffel Vandoorne será titular no ano que vem, embora o anúncio não tenha vindo no GP da Bélgica, como foi reportado.

Assim, são apenas esses dois concorrentes à vaga de companheiro de Fernando Alonso.

Lotus (Renault?)

A definição da dupla da Lotus para 2016 passa diretamente pela compra ou não da equipe pela Renault. Se o negócio acontecer, as duas vagas passam a ser bem atrativas, uma vez que contarão com apoio de fábrica de uma montadora, mesmo que o motor da fabricante francesa seja um dos mais frágeis do grid.

Em condições normais, Romain Grosjean é favorito para ficar na equipe, visto que foi protegido da Renault durante boa parte da carreira. No entanto, no fim de semana do GP da Itália surgiu o rumor que ele assinou com a Haas para 2016, deixando um dos carros livres.

Por ser piloto de testes, Jolyon Palmer aparece com boas chances de ganhar a vaga do francês, ao lado da manutenção de Pastor Maldonado, caso o milionário patrocínio da PDVSA continue.

Sergio Pérez, que ainda não renovou com a Force India, parece estar esperando o desfecho da negociação da Lotus com a montadora francesa para decidir para onde vai levar o patrocínio de Carlos Slim, um dos homens mais ricos do mundo, no ano que vem.

Sergio Pérez está entre Lotus e Force India
Sergio Pérez está entre Lotus e Force India

Force India

A equipe indiana corre por fora na negociação com a Renault. Apesar de ainda poder ser adquirida pelos franceses, a esquadra agiu rápido e garantiu a renovação do contrato de Nico Hülkenberg.

O time espera renovar também com Sergio Pérez, até mesmo por causa dos patrocinadores mexicanos, mas o piloto está mesmo é de olho no apoio de fábrica da Renault e a consequente oportunidade de voltar a lutar por pódios e vitórias.

A tendência, no entanto, é que tudo continue como está na Force India, com a própria esquadra apostando na renovação de Pérez até o GP de Cingapura, marcado para 20 de setembro.

Manor

Com a chegada de Bob Bell (ex-Mercedes) e de outros veteranos engenheiros da F1, além das negociações para ter motor Mercedes, a Manor pode se tornar uma equipe um pouco mais competitiva no ano que vem.

Quanto à dupla de pilotos, será uma surpresa se ela for definida antes do Ano Novo, visto que as vagas são definidas para quem pagar mais, e Roberto Merhi só foi confirmado em 2015 às vésperas do GP da Austrália.

Will Stevens, o outro piloto, pode continuar na Manor no próximo, desde que consiga pagar pela vaga. Outros nomes com alguma ligação com o time são Alexander Rossi e Rio Haryanto, que já testaram pela Marussia, e atualmente estão na luta pelo título (se é que podemos chamar assim) da GP2.

E se a ida de Grosjean para a Haas se confirmar, não coloque Kevin Magnussen fora da lista do time inglês.

O boato mais recente, porém, é que a Mercedes coloque um carro para Pascal Wehrlein, do DTM, como condição para fornecer os motores para a Manor no ano que vem. Não é absurdo de acontecer.

A Haas pode ser uma boa opção para os próximos anos
A Haas pode ser uma boa opção para os próximos anos

Haas

Há um motivo para as vagas da Haas serem tão cobiçadas. Em 2006 quando Jimmie Johnson conquistou o primeiro título da Nascar, o time de Gene Haas terminou o ano apenas em 28º, com Jeff Green. Cinco anos mais tarde, qual escuderia acabou com a sequência de campeonatos de Johnson? Justamente a Haas, dessa vez com Tony Stewart.

Não é que a Haas um dia tenha chances de ser campeã da F1 em breve, mas Gene Haas não é do tipo que entra em um campeonato só para participar. A parceria com a Ferrari, que construirá boa parte do carro, é prova disso.

E é justamente o acordo com Maranello que pode ter atraído Romain Grosjean. Se os boatos do GP da Itália estiverem certo, o francês fechou acordo com o time de olho em estar mais próximo da escuderia italiana e impressioná-la. Aí ele teria uma chance de ser contratado quando Kimi Raikkonen se aposentar.

Esteban Gutiérrez, reserva da Ferrari, é o favorito para o segundo carro do time. Jean-Éric Vergne e Kevin Magnussen também já foram especulados, mas parecem estar um pouco mais distantes de um acordo.

Já Alexander Rossi não parece estar sendo considerado para ser titular.

Mercedes, Red Bull, Ferrari, Williams, Sauber e Toro Rosso devem manter a mesmas duplas para 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s