Polêmicas da Áustria até Curitiba

A Stock Car teve um grava acidente em Curitiba - foto de fernanda freixosa
A Stock Car teve um grava acidente em Curitiba – foto de fernanda freixosa

Fazia tempo que não tinha um domingo tão cheio de polêmica no automobilismo mundial.

Na Stock Car, um grave acidente envolvendo Thiago Camilo, que ficou lento na reta devido a um problema mecânico e foi acertado por Felipe Fraga e Raphael Matos, paralisou a corrida com bandeira vermelha.

Camilo e Fraga foram levados para o centro-médico, embora não tenham sofrido fraturas.

O acidente também colocou em questão os princípios de segurança adotados pelo automobilismo brasileiro. De acordo com o regulamento, a bandeira branca, indicando carro lento na pista, deveria ser acionada. De fato, houve a indicação, mas não foi o suficiente para evitar a batida.

O mais importante agora são as entidades que regem o esporte a motor no país aprenderem com o episódio e criarem medidas para que ele não se repita nas próximas provas.

Também é bom que fiquem de olho na regra de os pilotos precisarem levar os carros avariados na primeira bateria aos boxes para poderem largar na segunda prova. Embora a regra não tenha causado o acidente de Camilo, ela fez com que Valdeno Brito se arrastasse perigosamente pela pista nas voltas iniciais.

Falando no campo desportivo, a maior polêmica, porém, aconteceu na Áustria, na quinta etapa da temporada 2015 do DTM.

Em uma corrida disputada debaixo de muita chuva, Robert Wickens segurava Timo Scheider na luta pela sexta colocação, na última volta, o que permitiu a aproximação do então líder do campeonato, Pascal Wehrlein.

O jovem piloto alemão conseguiu superar os dois adversários, deixando o chefe da Audi, Dr. Wolfgang Ulrich, irritado. Pelo rádio, o dirigente ordenou que Scheider tirasse Wickens da prova, mas o veterano germânico cumpriu a ordem de forma melhor que o esperado.

Na freada, Scheider tocou em Wickens, que, sem controle, atingiu Wehrlein. Resultado: as duas Mercedes fora da prova. Para piorar a situação, a vitória ficou com Mattias Ekström, também da Audi, que assumiu a liderança do campeonato.

Mais tarde, a direção de prova considerou Scheider culpado pelo incidente, excluindo-o do resultado. Quando o áudio da ordem de Ulrich vazou, a Audi foi convocada pela DMSB, entidade que comanda o automobilismo alemão, e será investigada pela atitude antidesportiva.

Dentro da pista, Wehrlein já afirmou que agora é guerra entre as duas montadoras germânicas.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos do DTM no Red Bull Ring, da Stock Car em Curitiba e das demais principais categorias do automobilismo mundial.

P.S.: não é verdade que Timo Scheider esteja sendo sondado pela Ferrari para o lugar de Kimi Raikkonen devido à habilidade de tirar duas Mercedes da prova com uma só tacada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s