O número de pilotos brasileiros no exterior

legiao brasileira
Reportagem de 1991 sobre os jovens pilotos brasileiros

Já faz algum tempo que o Brasil vem passando por um período de poucos pilotos nas principais categorias do automobilismo mundial. Se antigamente os representantes do país conquistavam diversos campeonatos na Europa e nos Estados Unidos, agora não é tão fácil encontrar um brasileiro que faça sucesso.

Para exemplificar o bom momento do país há alguns anos, recebi uma imagem de uma reportagem feita antes da temporada 1991. Um jornal resolveu compilar todos os brasileiros que competiriam no exterior naquele ano para apresentá-los aos leitores.

Com nomes como Rubens Barrichello, Christian Fittipaldi e Gil de Ferran, a lista chegou a impressionantes 25 representantes. É um ótimo número, claro. O problema é que a maior parte das informações está errada.

Não estou dizendo que o jornal errou. Contextualizando, a reportagem foi feita em 1991, quatro anos antes de haver internet comercial no Brasil. Não é que não havia Google. O único jeito de checar qualquer informação naquela época era pelo telefone, por livros ou por matérias antigas.

Ainda bem que mais de duas décadas depois a situação mudou, e agora é fácil encontrar a história desses pilotos. Dos 25 selecionados, a matéria acertou onde sete pilotos correram.

Eu ainda acrescentaria um oitavo. Acredito que o jornal tenha confundido o cineasta Walter Salles, que lançou um filme naquele ano, com Gualter Salles, sendo que este, sim, esteve na F-Opel Europeia. Além de os nomes serem parecidos, a reportagem ainda deu azar de o cineasta, muitos anos mais tarde, ter se dedicado ao automobilismo em corridas de carros GT.

Fora isso, ainda há o caso de Eduar Mehry Neto, que tomou parte somente de cinco das 16 etapas da F3 Inglesa de 1991. O jornalista acertou onde ele correu, mas a participação não durou muito tempo.

Além disso, em uma breve pesquisa não encontrei informações que comprovem Henrique Barcelos, Marcelo Petriccione, Walter Garcia, Kiko Cavalca e Álvaro Nassaralla tendo competido nas categorias as quais foram assinalados. Confira na tabela abaixo o que realmente aconteceu com os pilotos em 1991:

1991 real

Por outro lado, a notícia não colocou Pedro Paulo Diniz, Elio Seikel, Gualter Salles e Djalma Fogaça. Provavelmente, no momento da publicação, estes pilotos ainda não estavam fechados com os respectivos campeonatos. Assim, eles elevaram o número de brasileiros no exterior para 29 naquele ano.

Mas e como esse número se compara a hoje?

Levando em conta apenas os pilotos já anunciados oficialmente para 2015, o Brasil terá 14 representantes no exterior. São eles: João Paulo de Oliveira, Victor Franzoni, Sergio Sette Câmara, Mauro Auricchio, Vinicius Papareli, Vitor Baptista, Bruno Baptista, João Vieira, Enzo Bortoleto, Gaetano Di Mauro, Bruno Bonifacio, Pietro Fantin, André Negrão e Henrique Baptista.

Não acrescentei competidores que já são profissionais, como os da F1, Indy ou DTM. A única exceção é JP de Oliveira, que disputa a Super Formula. Como a F3000 Japonesa entrou na relação da reportagem do século passado, acabei colocando também a categoria sucessora.

A relação pode aumentar para 16, se levar em conta Lukas Moraes e Gustavo Lima. Os dois vão disputar um reality show durante três meses valendo uma vaga nas 24 Horas de Le Mans. Não é um campeonato propriamente dito, mas eles não deixam de ser brasileiros no exterior, a premissa principal da matéria.

E esse número ainda deve crescer nas próximas semanas. Como ainda faltam quase dois meses para o início da temporada europeia do automobilismo, deve acontecer mais alguns anúncios envolvendo pilotos do país.

Um bom exemplo é Pietro Fittipaldi. O neto de Emerson venceu a F-Renault Inglesa no ano passado e treinou pela F3 Europeia, mas ainda não definiu os planos para 2015.

Anúncios

3 comentários sobre “O número de pilotos brasileiros no exterior

  1. Muito bom, nao estamos tao mal quanto parece em termos quantitativos, mas por outro lado, hoje os caminhos já nao sao mais tao lineares quanto no principio da década de 90.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s