O fim da F4 Espanhola

A F4 Espanhola ia usar as novas regras da FIA
A F4 Espanhola ia usar as novas regras da FIA

Menos de três meses. Foi esse o tempo que a F4 Espanhola durou.

Com a proposta de ser um campeonato de baixo custo (€140 mil ou cerca de R$ 450 mil por temporada), a ideia para o novo certame era permitir que os pilotos chegassem para a corrida e entrassem logo no carro, sem precisar gastar dinheiro com logística e equipamento.

Para diminuir os custos, toda a operação seria feita pela equipe Drivex, que vistoriaria e revisaria os bólidos entres as etapas.

Assim, os times receberiam os equipamentos no começo do fim de semana de corrida e precisariam devolvê-los após a terceira bateria. Qualquer gasto extra, como com engenheiros particulares, poderia ser feito, embora não fosse obrigatório.

A crise na F4, no entanto, ficou evidente no começo do ano, quando a Drivex abandonou a função de responsável técnica. Desde então, a organização da categoria não anunciou uma substituta.

Fora os problemas com o desenvolvimento do equipamento, a F4 também sofria em fixar uma sede. De acordo com o site espanhol Revista Scratch, o diretor do certame, José María Rubio, contava com o aporte de €5 milhões (cerca de R$ 16 milhões) de investidores venezuelanos para levar o projeto do torneio adiante e fixá-lo no circuito de Navarra.

Ainda segundo a publicação, como o investimento não veio e o interesse dos pilotos não aumentava, Rubio foi forçado a renunciar ao cargo, com o cancelamento da F4 acontecendo alguns dias depois.

agora vai

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s