Toyota Racing Series 2015

A Toyota Racing Series começa nesta terça para uma maratona de 16 corridas em cinco semanas
A Toyota Racing Series começa nesta terça para uma maratona de 16 corridas em cinco semanas

O ano de 2015 começou cheio para quem gosta de automobilismo. Afinal, não demorou nem dez dias para que a primeira corrida do ano, a da F-E em Buenos Aires, tivesse todos os elementos de uma boa disputa. O problema é que a próxima prova dos carros elétricos acontece somente daqui a dois meses. Então toda a expectativa criada pelas últimas voltas de tirar o fôlego na etapa argentina vai esfriar até lá.

E é aí que entra a Toyota Racing Series (TRS), campeonato de base realizado na Nova Zelândia. Com 16 corridas ao longo de cinco fins de semana, o torneio consegue ganhar momentum nessa época do ano ainda de poucas competições.

A edição 2015 da TRS começa na madrugada desta terça-feira, dia 13, – quarta-feira no país da Oceania – quando os jovens pilotos vão à pista estrear o FT-50, o novo carro do certame. Como o campeonato neozelandês tem atraído cada vez mais competidores internacionais, a organização não só estendeu o contrato com a Toyota, mas também trabalhou no desenvolvimento de um novo bólido, mais próximo dos usados na Europa.

Por isso, a lista de inscritos ganhou nomes importantes. O principal é Lance Stroll, da Academia da Ferrari. Após vencer a F4 Italiana em 2014, o canadense precisa da quilometragem extra neste começo de ano para tentar suavizar o salto para a F3 Europeia, torneio que disputará no resto da temporada.

Lance Stroll terá apoio da Ferrari para superar James Munro
Lance Stroll terá apoio da Ferrari para superar James Munro

Para isso, ele contará não só com o apoio da Ferrari, mas também da equipe Prema, para quem corre na Europa. Da mesma forma, Brandon Maïsano, ex-piloto da Academia da Ferrari e que atua como uma espécie de coach de Stroll, também viajará à Nova Zelândia em busca de mais um título.

O curioso, porém, é que essa não é a primeira vez que um piloto da Ferrari estará na TRS. Em 2012, Raffaele Marciello disputou o certame em uma situação parecia à de Stroll, mas não foi bem. Tanto que o chefe da Academia, Luca Baldisserri detonou a organização neozelandesa no Twitter e disse que não tinha planos de voltar tão cedo para lá. Ao que tudo indica, ele mudou de ideia bem rápido…

Mas, se o jovem canadense da Ferrari quiser ficar com o título, é bom ele prestar atenção nos pilotos da casa. Até hoje, apenas uma vez um neozelandês perdeu a taça. Foi no ano passado, com Andrew Tang, de Cingapura sendo o ganhador. Só que nesses 12 meses James Munro evoluiu. Se era um estreante em 2014, agora ele retorna à terra natal como campeão da F-Master China e de olho em fazer carreira na Europa.

Depois de ter sido companheiro de Tang na última campanha, Munro competirá pela poderosa Giles, equipe responsável por lançar Mitch Evans. O outro neozelandês com boas chances é Damon Leicht. Iniciando a quinta campanha na TRS, ele foi duas vezes terceiro colocado e espera usar a experiência para ganhar mais duas posições. O problema é que, com a estreia do novo carro, essa vantagem pode ser relativizada.

Ainda falando na Oceania, olho em James Conroy e no australiano Thomas Randle. Em 2014, eles foram campeões da F-Ford da Nova Zelândia e da Austrália, respectivamente, e podem surpreender.

Sergio Sette Câmara correrá nas duas últimas etapas
Sergio Sette Câmara correrá nas duas últimas etapas

Atual vice-campeão mundial de kart na categoria KF, Nikita Mazepin puxa a fila dos pilotos da Europa. O russo de apenas 15 anos de idade, no entanto, sabe que neste momento disputar 16 corridas em cinco fins de semana é mais importante para a carreira que os resultados. O mesmo vale para Callum Illot, campeão europeu de 2014 da mesma modalidade e próximo de acertar a estreia na F3 Europeia pela Carlin.

O grid também conta com nomes de peso, que devem incomodar Stroll e Munro na luta pela taça. Um deles é Arjun Maini, vencedor do programa 1 em Bilhão da Force India, mas que ficou sem o apoio da equipe da F1 – dado a Jehan Daruvala. O indiano foi vice-campeão da F4 Inglesa na última temporada, perdendo para George Russell apenas na última etapa.

Santino Ferrucci, de 17 anos, o novo prodígio americano rumo à F1 e que deve continuar na F3 Euro também aparece com boas chances. A lista ainda tem Matteo Ferrer, único europeu a retornar à Toyota Racing Series em 2015 para mais uma temporada, Artem Markelov – da GP2 –, Stefan Riener e até mesmo o nobre Ferdinand Habsburg, herdeiro do trono austríaco.

Por fim, mais uma vez haverá um brasileiro na Nova Zelândia. Sergio Sette Câmara substituirá Dzhon Simonyan na equipe Giles nas duas últimas etapas. Assim, o jovem piloto mineiro participará de sete das 16 corridas da temporada. Por isso, com muito menos tempo de pistas que os rivais, é impossível cobrar qualquer tipo de resultados. O importante para ele será terminar as corridas e evoluir cada vez em que entrar no carro.

Você pode clicar aqui para ver a lista completa dos inscritos, antes dos treinos desta noite em Ruapuna Park.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s