Questão de nome

O dono deste carro tinha o nome terminando em 'ON'
O dono deste carro tinha o nome terminando em ‘ON’

Talvez você já tenha ouvido falar que o jejum de títulos do Brasil na F1 é uma questão de nome. Isso porque os três campeões do país, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna tinham nomes terminando em ‘ON’.

Desde então, não surgiu mais ninguém assim. E a maior prova dessa mística aconteceu no GP do Brasil de 2008, quando Felipe Massa cruzou a linha de chegada na frente e precisava torcer para que o maior rival chegasse no máximo em sexto para ser campeão.

Como a história conta, Timo Glock não conseguiu segurar o carro da Toyota com pneus para pista seca em meio à tempestade paulistana e acabou ultrapassado pela McLaren. Resultado, quinto lugar para Lewis HamiltON, que acabou com o título.

Há alguns anos, fiz um post aqui no World of Motorsport mostrando que praticamente não havia pilotos nas categorias de base brasileira com essa terminação no nome. Agora vou além e conferir se há alguém nascendo assim no país.

E, de acordo com o site Brasil BabyCenter, a resposta é não, para o desespero dos mais supersticiosos. No levantamento anual feito por eles, levando em conta cadastro de mais de 45 mil bebês feito na própria página, nenhum dos 100 nomes mais populares para meninos termina em ‘ON’. O mais perto disso é Anthony, na 63ª posição. Daí é só tirar o ‘y’ na hora de fazer a carteirinha de piloto e torcer para que isso seja o suficiente para satisfazer os deuses do automobilismo.

Enquanto isso, nomes de campeão, como Ayrton, Emerson, Nelson, Ramon, Wilson, Anderson, Simon, Edson e até mesmo Jon – quem se chama Jon? –, saíram de moda e foram trocados por Miguel, Davi, Arthur… Aliás, a situação do automobilismo é tão crítica nas maternidades, que a posição número 48 é de Davi Luiz, em homenagem ao zagueiro da seleção brasileira.

Como este não é um blog sexista, também fui checar se nos 100 nomes mais populares para meninas há algum ‘ON’. Já pensou a primeira campeã mundial da história da F1 ser brasileira? Mas, no que depender dos novos papais e mamães, isso não vai acontecer.

Em uma lista liderada por Sophia, Alice e Julia, não há nenhuma Marion e afins. O mais próximo é Antonella, no número 74.

Se alguns pilotos, como Tony Stewart e Pipo Derani, são identificados pelo apelido, nada impede que alguma Antonella, no futuro, seja chamada de TonTon. Quer dizer, vale tudo para ganhar alguns décimos de segundo na luta pelo título da F1, não é mesmo?

Por causa disso, fica o aviso. Se algum leitor ou leitora deste blog tiver como resolução para 2015 ter um bebê, considere batiza-lo com um nome terminado em ‘ON’. Depois o Brasil fica nesta seca de títulos na F1 e não adianta reclamar, né…

Anúncios

4 comentários sobre “Questão de nome

  1. rapaz, do jeito que está o automobilismo de base no Brasil, só mesmo com esse tipo de subterfúgio pra tentar surgir algum piloto com chances de chegar à F1, hein?

    ps: os filhos e netos dos campeões não contam, as famílias já se beneficiaram da escrita do nome terminado em “on”…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s