Pedro Piquet x Pietro Fittipaldi

Pedro Piquet não teve adversários na F3 Brasil - foto de bruno terena/vicar
Pedro Piquet não teve adversários na F3 Brasil – foto de bruno terena/vicar

A nova geração do automobilismo brasileiro vive um momento curioso. É que os dois garotos mais promissores carregam sobrenomes já bem conhecidos: (Pedro) Piquet e (Pietro) Fittipaldi.

Alguém até pode dizer que isso explica muita coisa. É claro que não é o ideal precisar recorrer sempre aos mesmos nomes – e sobrenomes – quando falamos em renovação. Mas também não é verdade que o futuro do esporte a motor no país dependa deles.

Basta lembrar que o único estreante na F1 2015 sem ter chegado à categoria via Red Bul, é brasileiro. Há ainda um piloto do país (André Negrão) já confirmado na GP2, outros dois (Pietro Fantin e Bruno Bonifacio) praticamente certos na World Series by Renault e mais dois (Gaetano Di Mauro e Enzo Bortoleto) na F4 Inglesa.

Se algum deles vai vingar, ainda é cedo para dizer. Da mesma forma, também não dá para saber o que vi acontecer com Pietro Fittipaldi e Pedro Piquet.

Na preparação para o futuro, o primeiro está tendo um inverno bastante ativo na Europa. Já testou pela F-Renault Eurocup, pela F3 Europeia e, nos últimos dias, experimentou o bólido da Dams na World Series by Renault. Pedro, por sua vez, andou por Carlin e Van Amersfoort também na F3 Euro, mas já deu algumas entrevistas dizendo que considera defender o título da F3 Brasil, uma vez que não quer deixar o país sem terminar os estudos.

Pietro Fittipaldi alcançou oito vitórias seguidas em 2014
Pietro Fittipaldi alcançou oito vitórias seguidas em 2014

Mas qual dos dois teve um 2014 melhor? É isso o que o World of Motorsport tenta descobrir. Enquanto Fittipaldi garantiu a taça da F-Renault Inglesa com direito a oito vitórias consecutivas, Piquet não deu chances aos adversários na F3 Brasil.

Na tabela abaixo, você vê um resumo de como foram as temporadas da dupla. Só que os números não incluem apenas as campanhas vitoriosas. É que, enquanto lutavam pelas taças, os dois garotos também se aventuraram por outros certames

Pietro deu prosseguimento à adaptação ao automobilismo europeu, disputando algumas etapas da F-Renault Alps e a rodada decisiva da Eurocup. Já Pedro começou a temporada na Nova Zelândia, participando das duas primeiras rodadas da Toyota Racing Series, e depois seguiu no Brasil, andando de Porsche na preliminar da F1 e na última etapa do Mercedes Challenge.

E isso acabou modificando os números deles. Fittipaldi, por exemplo, encontrou campeonatos bem mais difíceis, diminuindo a relação poles e vitórias por corrida. O compatriota, por outro lado, não só teve números melhores no geral, mas também dominou na Porsche, com pole em vitória, embora tenha acumulado um abandono no Mercedes Challenge.

Por fim, outro detalhe é que Piquet disputou menos treinos classificatórios – 14 – já que tanto a F3 Brasil quanto a TRS têm a regra do grid invertido em uma das baterias.

pedropietro

Anúncios

Um comentário sobre “Pedro Piquet x Pietro Fittipaldi

  1. Acho que os dois moleques estão fazendo un trabalho legal, a diferença é que o Pietro tem mostrado uma curva de aprendizado acintosa com um planejamento de carreira mais agressivo, claramente perceptível até pelos posts sobre ele neste blog, enquanto o Pedro, vamos dizer assim, tem usado a F3 Brasil para fortalecer os “fundamentos básicos” da pilotagem.
    Pelo menos essa é a leitura que eu faço.
    Desses caras que você citou eu tenho acompanhado o Di Mauro, parece que leca jeito.
    Post legal cara.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s