Felipe Nasr na Sauber em 2015

Felipe Nasr é o novo titular da Sauber para 2015
Felipe Nasr é o novo titular da Sauber para 2015

Felipe Nasr vai correr na F1 em 2015. Depois de dois anos negociando com diversos times, o brasileiro anunciou nesta quarta-feira, dia 5, que assinou contrato com a Sauber pelas próximas duas temporadas, se tornando companheiro de Marcus Ericsson na escuderia suíça. Nasr passa, assim, a ser o segundo piloto do país confirmado no grid do ano que vem, uma vez que Felipe Massa já estava garantido na Williams.

Curiosamente, a Sauber também foi a equipe usada pelo atual companheiro de Valtteri Bottas para chegar à F1 em 2002. No entanto, as circunstâncias para os dois xarás foram um pouco diferentes. Enquanto Massa foi emprestado pela Ferrari à esquadra suíça para ganhar experiência, Nasr precisou vencer uma concorrência pesada contra pilotos como Giedo van der Garde, Esteban Gutiérrez, Adrian Sutil, Sergey Sirotkin e, até certo ponto, Simona de Silvestro.

E, por vencer a concorrência, entenda como pagou mais. Em nenhum momento a Sauber escondeu que precisava de dinheiro para sobreviver. Foi assim no sábado, ao anunciar Ericsson, e novamente agora, colocando o patrocínio do Banco do Brasil em destaque ao revelar o acordo com Nasr.

Mas isso não quer dizer que o brasileiro não esteja à altura da F1, pelo contrário. Nasr e o empresário Steven Robertson entenderam que para entrar na principal categoria do automobilismo mundial no cenário atual é preciso de um das duas coisas: ou estar no programa de desenvolvimento de alguma equipe, ou levar muito dinheiro a alguma delas. Um caminho similar ao de Sergio Pérez, portanto, que também debutou no certame graças aos patrocinadores, mas que rapidamente deixou o estigma de pagante para trás.

Assim como aconteceu com o mexicano, Nasr também leva à Sauber um pacote que inclui mais do que dinheiro. Ele chega à escuderia suíça com um currículo vitorioso nas categorias de base, tendo conquistado a F-BMW Europeia – ao superar Robin Frijns – e batido Kevin Magnussen para ficar com a taça da F3 Inglesa. O brasileiro também teve um bom desempenho na GP2, tendo ganhado quatro provas, obtido uma pole, uma volta mais rápida e 18 pódios em três temporadas e lutando pelo título em duas delas.

Além disso, o brasiliense tem a experiência de ter testado pela Williams, uma equipe que saiu da crise do ano passado para se tornar uma frequentadora do pódio neste ano – o desempenho que a Sauber adoraria repetir, já que sequer pontuou no atual campeonato.

Por isso, em um primeiro momento, talvez você já tenha lido que a esquadra de Monisha Kaltenborn não era exatamente a melhor porta de entrada para a F1. Afinal, estamos falando de uma equipe com poucos recursos e que nas duas últimas temporadas teve desempenhos muito ruins – ainda que tenha se recuperado no fim de 2013.

O novo carro da Sauber não deverá ser tão claro em 2015
O novo carro da Sauber não deverá ser tão claro em 2015

Mas a verdade é que ainda está muito cedo para fazer qualquer tipo de previsão de resultados para Nasr. Em primeiro lugar, ninguém sabe quantos carros vão estar na F1 no ano que vem. É verdade que Marussia e Caterham se inscreveram para 2015, mas isso não significa que elas estarão no grid. E isso pode mudar tudo. Se a F1 adotar o terceiro carro para os times de ponta, Sauber, Toro Rosso e Force India estarão cada vez mais no fim do grid, assim as chances de o brasileiro pontuar diminuem drasticamente. Por outro lado, com apenas 18 bólidos, uma corrida mais acidentada ou cheia de quebras e já será possível pensar em o top-10.

Outro ponto de interrogação é quanto ao regulamento dos motores. Por causa do domínio da Mercedes neste ano, as equipes com propulsores Renault e Ferrari – como é caso da Sauber – estão pressionando para que o congelamento da peça não entre em vigor na virada de temporada. Assim, elas poderiam ter praticamente um motor novo em 2015, corrigindo os problemas e podendo lutar mais de perto com os times empurrados pela peça germânica.

Por fim, há ainda mais uma dificuldade. Sendo Nasr um novato no próximo campeonato e Ericsson vindo de uma bagunça como a Caterham, quem será o responsável por ajudar os engenheiros a desenvolver o carro do ano que vem? É por isso que, mesmo se a Sauber construir um foguete, o único foco para 2015 precisa ser o aprendizado. Mas é claro que um pontinho aqui e outro ali não faz mal nenhum a um estreante.

Anúncios

Um comentário sobre “Felipe Nasr na Sauber em 2015

  1. Felipe… é esperar para ver o que vai dar a nova sauber de 2015.
    Pois esse ano está uma penúria só. Tenho a impressão de que se não resolver nada, ou a equipe técnica e de projetistas não fizerem um conjunto bom, a Sauber de 2015 tem chance de ser a “lanterninha” da temporada, uma vez que a não participação das antes chamadas equipes pequenas Marussia e Catherham são iminentes. Não dá para negar que o Nars tem talento, e também com certeza vai dar canseira no Erickson. Resta torcer para que tenha um carro bom e que consiga brigar por alguns pontinhos.

    abraço !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s