Treino dos campeões da World Series by Renault em Aragón

Alex Albon colocou o carro da Lotus na frente em Aragón
Alex Albon colocou o carro da Lotus na frente em Aragón

Um dos segredos da popularidade da World Series by Renault nos últimos anos é o chamado treino dos campeões. Isto é, um convite que a montadora francesa faz a pilotos que venceram categorias ao redor do mundo para viajar à Espanha e participar de um teste com o carro do certame.

Deu certo. Muita gente que ganhou campeonatos por aí acabou optando por seguir carreira nela. Só para citar alguns exemplos, falo de Jaime Alguersuari, Richie Stanaway e até mesmo Yann Cunha.

Aliás, há alguns anos, a F3 Sudamericana – assim como a F3 Japonesa e outros campeonatos periféricos – fazia parte das categorias cujo campeão era convocado pela Renault. No entanto, choques de calendário e a diminuição do orçamento da montadora francesa fizeram com que hoje basicamente apenas quem venceu alguma F-Renault no mundo acabe tomando parte da atividade.

Isso também abriu caminho para veteranos. Ou seja, enquanto os campeões novatos têm o primeiro contato com o carro, já tem gente trabalhando de olho na próxima temporada dentro da pista neste momento. E foi isso o que aconteceu nesta segunda-feira, dia 3, em Aragón.

Com 12 pilotos convidados para atividade, a World Series by Renault abriu os trabalhos para 2015 com justamente um novato na frente. Convocado por ter sido o terceiro colocado na F-Renault Eurocup, Alex Albon aproveitou o bom ritmo apresentado pela Lotus nas pré-temporadas para liderar a tabela de tempos ao cravar 1min41s629, logo pela manhã.

A marca do tailandês foi 0s198 mais veloz que a do veterano Pietro Fantin. Aos 22 anos, o curitibano disputará a categoria pela terceira temporada seguida no ano que vem e quer se colocar entre os candidatos ao título. No entanto, apesar de o brasileiro ter sido o segundo na primeira sessão, ele caiu para quinto na soma dos tempos, uma vez que os adversários melhoraram na parte da tarde, conforme iam se adaptando ao equipamento.

Pietro Fantin está de volta à Draco - foto de paolo pellegrini
Pietro Fantin está de volta à Draco – foto de paolo pellegrini

Assim, Gustav Malja liderou a atividade vespertina, fechando com a segunda colocação na classificação geral, apenas 0s096 atrás de Albon. Nicholas Latifi, que estreou na World Series na parte final do ano, veio em terceiro, seguido por Tio Ellinas. O cipriota, como de costume, foi muito rápido, mas sempre será obrigado a enfrentar pontos de interrogação sobre a carreira devido à falta de apoio financeiro.

Podendo estrear no certame em 2015, Egor Orudzhev foi o sexto, seguido por Beitske Visser. Assim como Fantin, a holandesa também começou os trabalhos para a próxima temporada. No começo do ano, ela havia assinado contrato por duas temporadas com a equipe AVF, pois sabia que o pulo da Adac Masters para a World Series by Renault era muito grande e precisava de mais tempo para aprender. Agora ela começa a colher o resultado da continuidade.

Outro veterano, Jazeman Jaafar foi o oitavo, testando novamente com a Dams. A boa notícia para o malaio é que a escuderia francesa venceu as duas últimas temporadas de forma dominante. A má, a equipe é conhecida por priorizar o primeiro piloto e já tem Nyck de Vries, da McLaren, assinado para 2015… E, falando no holandês, ele ficou em 14º no geral, mas curiosamente tendo sido o 12º em ambas as sessões de pista.

Andrea Pizzitola colocou o segundo carro da Lotus em nono, enquanto Charles Leclerc conseguiu um bom décimo tempo em um dos bólidos da Arden. Por ter sido vice-campeão da F-Renault Alps, o monegasco andou só pela manhã – quando a bolsa da Renault está efetivamente em vigor – antes de entregar o equipamento a Orudzhev.

Entre os convidados, há duas curiosidades. A primeira é a presença de Jann Mardenborough, que ocupa apenas a nona colocação na GP3, mas mesmo assim acabou chamado pela Renault, já que a montadora francesa é dona da Nissan, patrocinadora do britânico. A outra foi o francês Guillaume Cunnington, campeão da divisão Masters da F-Renault Asiática. É a cota para categorias obscuras.

Para terminar, Bruno Bonifacio também recebeu o convite da montadora devido ao top-5 na Eurocup e mais uma vez andou com a Draco, escuderia que deve defender no ano que vem. O brasileiro foi somente o 17º na primeira sessão, mas subiu para 13º na parte da tarde, resultados absolutamente normais para quem ainda está pegando a mão do carro. Na soma dos tempos, ele voltou ao 17º posto.

Sem contar necessariamente com os campeões, a World Series by Renault volta à pista nesta terça e quarta-feira para mais dois dias de atividade. Fantin e Bonfiacio continuam andando com a Draco nesse período e são os únicos brasileiros presentes em Aragón.

Confira a soma dos tempos do treino dos campeões:

temposworldseriesaragon

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s