A recuperação de André Negrão na GP2

André Negrão pulou do zero para a 12ª colocação na GP2
André Negrão pulou do zero para a 12ª colocação na GP2

André Negrão não era o novato mais badalado no início da temporada 2014 da GP2. Em uma classe liderada por Stoffel Vandoorne e Raffaele Marciello, o brasileiro aparecia ao lado de bons nomes vindos da World Series by Renault, como Arthur Pic e, mais tarde, Marco Sorensen e Pierre Gasly.

Por causa disso, é até natural que o paulista tenha demorado um pouco para se adaptar ao novo certame. Nas primeiras sete rodadas de 2014, Negrão sequer marcou pontos e teve o 14º lugar na segunda bateria da etapa da Áustria como melhor resultado. Para piorar o processo de aclimatação, ele ainda perdeu as provas de Barcelona devido a uma lesão.

Mas tudo mudou nas férias de verão da GP2. Nas quatro semanas de agosto em que a categoria não vai às pistas, tanto o brasileiro quanto a equipe Arden resolveram recuperar o tempo perdido e entender o que estavam fazendo de errado. Fosse em termos de desempenho, fosse nas estratégias, fosse na economia dos pneus, algo fundamental na GP2.

E o resultado não demorou a aparecer. Na volta ao trabalho, em Spa-Francorchamps, é verdade que o piloto não foi bem na classificação, conquistando apenas o 20º posto no grid de largada. Mas as condições de pista molhada – em que é especialista – permitiram que ele terminasse a prova do sábado em nono, tendo perdido o oitavo posto e a pole para a corrida curta na última volta, ao ser ultrapassado por Daniel Abt.

Após somar os primeiros pontos na GP2, Negrão manteve a boa fase. No domingo belga, ganhou uma posição e terminou em oitavo. Duas semanas depois, na Itália, novamente o brasileiro andou no pelotão da frente, conquistando dois quintos lugares.

O cenário não foi muito diferente neste fim de semana, na Rússia. O piloto da Arden se classificou em uma boa nona colocação no grid de largada e avançou ao sexto posto na corrida do sábado, ao fazer uma prova sem erros no complicado traçado de Sochi, com muros pertos da pista e muito contato entre os carros devido às amplas áreas de escape.

No domingo, mais uma vez Negrão não teve um desempenho dominante, mas se aproveitou dos problemas dos rivais para se recuperar de uma largada não tão boa e repetir a sexta posição.

Como resultado, em três etapas, o brasileiro saiu do zero na tabela para acumular 31 pontos, ocupando a 12ª colocação. Mais do que isso, o paulista ajudou a Arden na briga entre as equipes, já que a escuderia agora está no décimo lugar, mas na luta com Rapax e MP pelo oitavo posto.

E dentro do próprio time, Negrão não vem dando chance para o companheiro René Binder. Embora o austríaco tenha estreado na GP2 em 2012, ele soma somente três pontos até aqui. Enquanto o brasileiro pontuou nas últimas seis corridas, o europeu não foi além do 20º lugar nesse período.

É verdade que Negrão ainda está longe de mostrar a mesma peformance que Vandoorne, Marciello ou Pic. Mas desde as férias de verão o brasileiro vem conquistando pontos de forma consistente, algo fundamental para quem quer ter uma carreira longeva no automobilismo.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da GP2 na Rússia, além das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s