Max Verstappen será piloto da Toro Rosso em 2015
Max Verstappen será piloto da Toro Rosso em 2015

18 de agosto de 2014. Nesta segunda-feira, o mundo da F1 descobriu Max Verstappen. Completando 17 anos de idade no próximo dia 30 de setembro, o holandês anunciou que vai ser companheiro de Daniil Kvyat, na Toro Rosso, na temporada 2015 da principal categoria do automobilismo mundial.

A negociação, na verdade, já havia sido revelada há algumas semanas pela revista italiana ‘Autosprint’. A publicação dizia que o garoto estava sendo disputado entre Mercedes e Red Bull, e o trunfo de Helmut Marko para afastá-lo dos alemães era oferecer uma vaga de titular na Toro Rosso já no próximo ano.

Dito e feito. Verstappen não só foi confirmado como integrante do Red Bull Junior Team, como também garantiu presença na F1. Quando o próximo campeonato começar, em março, o holandês será o piloto mais jovem da história a estrear na categoria, aos 17 anos e mais ou menos 150 dias. O recorde atual ainda pertence a Jaime Alguersuari, que disputou o GP da Hungria de 2009 pela mesma Toro Rosso aos 19 anos e 125 dias.

E é justamente essa diferença de idade que importa. Quando Alguersuari debutou no campeonato, ele já tinha quatro anos e meio de experiência nos monopostos, incluindo o título da F3 Inglesa de 2008 e o vice-campeonato da F-Renault Italiana no ano anterior.

Verstappen, por sua vez, teve uma ascensão meteórica até mesmo para os padrões das ascensões meteóricas. Neste mesmo momento do ano passado, ele ainda estava no kartismo e começava ainda a fazer os primeiros testes de F-Renault. Depois disso, participou da Florida Winter Series, um campeonato de inverno da Ferrari, no começo do ano e estreou na F3 Europeia pela mediana Van Amersfoort. Foram oito vitórias até agora no certame, além do título do Masters de F3, em Zandvoort.

Por causa da pouca experiência, há quem critique um piloto de apenas 17 anos competir na F1. Mas essa é uma polêmica já superada. Foi a mesma ladainha quando Kimi Raikkonen estreou em 2001 vindo da F-Renault Inglesa. Também aconteceu a mesma coisa quando a Toro Rosso trouxe Alguersuari e novamente neste ano com Daniil Kvyat, campeão da GP3 na última temporada.

Todos eles correram direitinho na F1 e, com mais ou menos destaque, conseguiram bons resultados. Evidentemente, o mesmo vai acontecer com Max Verstappen. É natural que ele vá cometer erros como novato – assim como aconteceu neste ano na F3 –, mas nada que faça a FIA mudar de ideia de ter lhe dado a superlicença.

Acho mais provável vê-lo brigando pelo Q3 no GP da Austrália de 2015 que parado em algum muro do circuito de Albert Park ainda no Q1. No restante, ainda é impossível falar o que o futuro reserva ao holandês. Ele ter potencial para ser campeão do mundo e quebrador de recordes é uma coisa, mas resta ver se ele vai se desenvolver o suficiente para isso.

A única certeza é que a promoção de Verstappen complicou a vida dos outros integrantes do Junior Team. Com a Toro Rosso sem vagas no ano que vem, a única chance de Alex Lynn, Pierre Gasly e Carlos Sainz Jr de chegar à F1 em 2015 é por outra equipe. O espanhol, aliás, volta e meia é especulado na Caterham. Pode acontecer.

Pensando um pouco mais adiante, tudo está em aberto. O contrato de Sebastian Vettel com a Red Bull termina no fim de 2015, e o alemão é alvo de Ferrari e da Mercedes. Se ele sair, a tendência é que alguém da Toro Rosso seja promovido para ser companheiro de Daniel Ricciardo. Kvyat está bem cotado para isso, mas será que alguém ainda dúvida da capacidade de Verstappen?