Kimiya Sato é o campeão da AutoGP
Kimiya Sato é o campeão da AutoGP

Ainda estamos praticamente na metade do mês de agosto, mas já tem gente comemorando título em 2014. Por causa do calendário concentrado no primeiro semestre do ano, a AutoGP viu neste domingo, dia 17, Kimiya Sato vencer o campeonato com uma rodada de antecipação, em Nürburgring.

O japonês – que não tem parentesco com Takuma Sato da Indy – conquistou uma vitória e um terceiro lugar na etapa da Alemanha, o suficiente para abrir 50 pontos na classificação e garantir matematicamente a taça, uma vez que apenas 49 estarão em jogo no Estoril.

Só que para terminar como campeão, o nipônico precisou trabalhar duro neste fim de semana. Tudo começou no treino classificatório, realizado na sexta-feira debaixo de forte chuva. Enquanto a sessão acontecia, Sato foi obrigado a ficar parado nos boxes, com a equipe Euronova tentando consertar um problema no freio no equipamento.

Assim, o piloto só conseguiu ir à pista nos instantes finais da atividade. Mas, para piorar, ele acabou rodando e sequer marcou tempo. Dessa forma, o japonês foi obrigado a largar da última colocação na primeira bateria. Só que isso não o impediu de reagir. Fazendo uma boa corrida de recuperação, ele já ocupava a quarta colocação – atrás de Kevin Giovesi, Tamás Pal Kiss e Markus Pommer – antes do pit-stop obrigatório.

A reação, no entanto, sofreu um baque quando o nipônico acabou punido por não ter respeitado uma bandeira amarela. Aliás, Giovesi e Pommer também foram penalizados pelo mesmo motivo. Com os três principais rivais fora da briga, Pal Kiss cruzou a linha de chegada na frente e pôde celebrar a vitória.

A comemoração do húngaro, porém, não durou muito tempo. A direção de prova anunciou que ele também foi punido por não respeitar as bandeiras amarelas, o que fez Sato herdar a vitória após largar em último.

No domingo, o japonês teve um dia um pouco mais tranquilo. Mesmo em uma bateria marcada pela regra do grid invertido, o piloto conseguiu terminar em terceiro, atrás de Pal Kiss – que enfim venceu oficialmente – e de Pommer. Sato também marcou a volta mais rápida da prova, o que lhe garantiu os 50 pontos de vantagem na tabela e o título antecipado da AutoGP.

O nipônico deu uma de Scott Dixon e venceu após largar em último
O nipônico deu uma de Scott Dixon e venceu após largar em último

Bem na verdade, o japonês foi o piloto dominante em toda a temporada, e o caneco acabou mais do que merecido. O asiático venceu seis corridas, marcou uma pole e foi o autor da melhor volta em sete das 14 baterias disputadas até aqui.

Aliás, o nipônico participou de apenas 12, já que acabou ficando de fora da rodada de Monza devido a um conflito de data com o calendário da GP2, categoria na qual ele também compete.

E se há alguma desconfiança acerca do desempenho dele é justamente a campanha na GP2. Estreando na categoria neste ano pela Campos, ele disputou seis das sete etapas – ficou de fora da rodada da Alemanha por um conflito de datas com a AutoGP –, ainda não pontuou e tem o 14º lugar em Mônaco como melhor resultado.

Como são categorias bem diferentes, e os novatos costumam ter problemas de adaptação na GP2, pode ser que os resultados de 2014 não façam justiça o talento do japonês. Ou seja, a partir de agora, sem a Auto GP, ele já pode focar na melhora também no outro campeonato.

Sato chegou a testar o carro da Sauber no ano passado, mas uma promoção à F1 parece distante. O único campeão da AutoGP a ter conseguido chegar à categoria principal foi Romain Grosjean, que usou o certame italiano como o primeiro passo para recuperar a carreira depois de ser dispensado pela Renault. Kevin Ceccon, Adrian Quaife-Hobbs e Vittorio Ghirelli foram os outros campeões da categoria.