5 times nas 2 e nas 4 rodas

Se Marc Márquez decidir se arriscar nas quatro rodas, ele tem 5 boas opções dentro da própria Motovelocidade
Se Marc Márquez decidir se arriscar nas quatro rodas, ele tem 5 boas opções dentro da própria Motovelocidade

Com as principais categorias do automobilismo mundial de folga, quem aproveitou o último fim de semana para emplacar foi a MotoGP. Correndo no tradicional circuito de Indianápolis, a categoria viu uma boa batalha entre Valentino Rossi e Marc Márquez, com o espanhol levando a melhor e conquistando a décima vitória em dez provas em 2014.

Sempre que vejo Márquez invicto, fico pensando o que ele pode fazer da carreira. Quer dizer, que tipo de motivação um garoto de 21 anos poderá ter caso conquiste o bicampeonato tendo vencido todas as provas? Não faço a menor ideia. Se fosse comigo, deixaria a modalidade com a sensação de ‘zerei o jogo’ e ia fazer outra coisa da vida.

O bom é que, se Márquez seguir minha ideia, ele nem vai precisar deixar o círculo da MotoGP. Listo aqui no World of Motorsport cinco equipes que participam do Mundial de Motovelocidade, mas também se aventuram no mundo das quatro rodas. Aí é só o espanhol escolher uma delas e mudar de modalidade.

mahindra psd

5) Mahindra

Os indianos estrearam na Motovelocidade ainda em 2011, na extinta divisão 125cc. Apesar disso, o equipamento não era lá muita coisa e não permitia que os pilotos brigassem por top-10. Na verdade, a situação do time só melhorou com a contratação de Miguel Oliveira, dois anos mais tarde. Com o luso em uma das máquinas, a fábrica asiática já garantiu dois pódios e uma pole-position e passou a figurar na parte de cima da tabela.

O desempenho é um pouco melhor no Campeonato Italiano de Velocidade, a outra categoria em que a montadora está presente. Contando com os jovens Andrea Locatelli e Michael Rinaldi, o time fez a dobradinha na temporada 2013 na mesma divisão Moto3.

Já nas quatro rodas, a fábrica anunciou no fim do ano passado a participação na temporada inaugural da F-E. Sendo uma das dez equipes selecionadas, a esquadra vai refazer a dupla Bruno Senna e Karun Chandhok e contará com o apoio da Carlin na tentativa de levantar a taça.

Caterham psd

4) Caterham

É verdade que a equipe de Tony Fernandes deixou a F1 no meio da atual temporada, mas isso não quer dizer o fim das atividades no esporte a motor. Neste ano, a escuderia malaia disputa a temporada completa da Moto2 com o americano Josh Herrin e o veterano francês Johann Zarco.

E é justamente o europeu que está levando a melhor até agora. Com direito a um pódio na Catalunha, ele ocupa a décima colocação na tabela, enquanto o companheiro – que já ficou de fora de duas corridas devido a uma lesão – ainda não pontuou.

No automobilismo, a Caterham continua com uma equipe na GP2, além de estar presente em diversas categorias amadoras da Inglaterra. A montadora também patrocinou um carro nas duas últimas edições das 24 Horas de Le Mans, mas isso pode não acontecer em 2015 por causa da saída de Fernandes da F1.

monlau psd

3) Monlau

Caso Márquez realmente queira fazer a transição para as quatro rodas, ele poderá escolher uma velha conhecida para isso: a escuderia espanhola Monlau Competición. O atual líder da MotoGP se juntou ao time em 2004, quando tinha apenas 11 anos, e seguiu com eles até 2012, quando conquistou o título da Moto2.

Sem Márquez, a equipe de Emilio Alzamora passou a se dedicar novamente apenas à Moto3 e a campeonatos da própria Espanha. Com o patrocínio da cerveja Estrella Galicia 0,0, o time inscreve máquinas para Álex Rins e Álex Marquez – irmão mais novo de Marc – e já conquistou duas vitórias na atual temporada.

Nos carros, a escuderia participa da renovada Seat León Eurocup. A categoria retornou em 2014 após um hiato de quatro anos e estreou um novo bólido feito pela fabricante ibérica. Contando com os espanhóis Fran Rueda – vindo da F4 Francesa –, Jaume Font e Alex Carbonell, o time já conquistou um pódio – graças ao terceiro lugar de Rueda em Nürburgring – e ocupa a oitava colocação na tabela de pontos.

pons psd

2) Pons

Conhecida por ter sido a escuderia de Alexandre Barros entre 1999 e 2002, quando o brasileiro estava no auge da carreira, a Pons tem um longo histórico no esporte a motor. Tudo começou em 1992, quando Sito Pons criou um time na então 500cc para Álex Crivillé. Sempre contando com o apoio da Honda, foram 16 vitórias até 2005, quando o dirigente resolveu deixar a categoria após perder o patrocínio da Camel, naquela proibição a marcas de cigarro.

Mas isso não significou que a escuderia fechou as portas. É que desde 2004 ela tinha ampliado para as quatro rodas, disputando a World Series by Renault. E quem diria que logo no ano de estreia ela conseguiria a taça de campeão com Heikki Kovalainen?

Após dois anos longe do motociclismo, a Pons retornou em 2008, mas disputando apenas as 125cc. Agora ela se dedica apenas à Moto2, sendo inclusive a atual campeã da categoria, com Pol Espargaró.

Aliás, vale um detalhe curioso. Quando Espargaró garantiu a taça do ano passado, ele pediu a Sito Pons para testar um dos carros da World Series como prêmio. O dirigente, claro, concordou. Mas o que era para ser uma comemoração acabou doendo no bolso. Isso porque o espanhol bateu o equipamento, destruindo-o por completo.

marcvds

1) Marc VDS

Atual líder da Moto2, a escuderia de Marc van der Straten tem uma longa história nas corridas de GT. O time surgiu em campeonatos da própria Bélgica antes de descolar uma parceria com a Ford para participar do FIA GT. Foram cinco vitórias no certame antes de passar a correr no Blancpain Endurance Series, já com o apoio da BMW, contabilizando outros cinco triunfos e se consolidando em uma das principais forças da modalidade.

Em 2014, porém, os planos mudaram. A Marc VDS participa apenas do campeonato alemão de endurance – o VLN – e dá apoio a uma das equipes da Nascar Europeia.

Nas motos, a situação é melhor. Com Tito Rabat e Mika Kallio, os belgas são o time a ser batido na Moto2, tendo conquistado sete vitórias em dez provas em 2014 e ocupando os dois primeiros lugares na tabela de pontos. Agora só resta saber se Van der Straten está disposto a seguir Sito Pons e deixar um eventual campeão nas duas rodas testar uma das BMW…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s