Como diria Galvão Bueno, Bruno Bonifacio é o Brasil nas pistas contra a Holanda
Como diria Galvão Bueno, Bruno Bonifacio é o Brasil nas pistas contra a Holanda

Com a Copa do Mundo de futebol chegando ao fim, muita gente começa a lembrar que há outros esportes por aí. O automobilismo, claro, é um deles. E neste sábado, dia 12, acontece um encontro entre as duas modalidades. Enquanto Brasil e Holanda disputam o terceiro lugar do Mundial, em Brasília, esses dois países também se enfrentam nas pistas, em Nürburgring, pela quarta etapa da F-Renault Eurocup.

Se o técnico neerlandês, Louis Van Gaal, minimizou o jogo e disse que a disputa pelo terceiro lugar não deveria acontecer, o embate entre Brasil e Holanda nas pistas vale muito. Isso porque Nyck de Vries e Bruno Bonifacio ocupam a primeira e a segunda colocação, respectivamente, na tabela de pontos.

A rodada de Nürburgring, aliás, é a oportunidade de o brasileiro de dar a volta por cima. Com quatro pódios nas primeiras quatro corridas da temporada, Bruno não marcou pontos na última etapa, em Moscou, por causa do fraco desempenho na classificação e de um problema mecânico, que o impediu de participar da segunda bateria.

Consequentemente, o brasileiro viu De Vries voltar a se desgarrar na tabela. Se antes de Moscou os dois estavam empatados na tabela, agora o holandês abriu 18 pontos na liderança.

O clima de Copa é tão grande que até o patrocinador do cara começa com 'copa'
O clima de Copa é tanto que até o patrocinador do cara começa com ‘copa’

Para recuperar o terreno perdido Bonifacio conta com a experiência de ter visitado o paddock da F1, em Silvestone, a convite da Renault. Lá ele pôde conversar com os pilotos de Red Bull, Toro Rosso, Caterham e Lotus, além de acompanhar o dia a dia e o funcionamento dessas escuderias em um fim de semana de competições.

Levando em conta que a F1 é o sonho da maior parte dos pilotos – incluindo Bonifacio –, deve ser difícil pressionar ainda mais esses garotos e garotas. Mas, você sabe, um brasileiro enfrentando um holandês, no mesmo dia do confronto entre as duas seleções, ainda com a imagem do 7×1 e podendo dar alguma autoestima esportiva dos torcedores daqui e precisando se recuperar no campeonato… acho que não é preciso mais motivos para acompanharmos a categoria neste fim de semana.

O confronto entre Brasil e Holanda não para por aí. Na própria F-Renault, os holandeses ainda contam com a presença de Steijn Schothorst, enquanto Pietro Fantin corre contra Beitske Visser e Meindert van Buuren na World Series by Renault. Nesta categoria, o paranaense leva vantagem. Ele ocupa a 15ª colocação na tabela, com 20 pontos, enquanto os dois europeus, somados, têm apenas seis.