Pietro Fittipaldi teve um bom desempenho em Monza
Pietro Fittipaldi teve um bom desempenho em Monza

Quando Pietro Fittipaldi escolheu seguir nas categorias da Inglaterra em 2014, ele corria o risco de viver numa bolha. Ser o mais rápido na F-Renault Inglesa poderia criar uma impressão falsa de que ele estava no topo. Afinal, há alguns anos, os principais nomes do esporte a motor deixaram de ir às terras britânicas e preferem competir em certames europeus, como a F-Renault e a F3.

Assim, o único jeito de o brasileiro saber onde realmente está na carreira seria seguir esse mesmo caminho e correr contra os jovens badalados de outras categorias. E isso Fittipaldi fez. Logo após vencer as três corridas da etapa de Donington Park do campeonato inglês, o piloto anunciou que competiria também em algumas etapas da F-Renault Alps.

Mesmo andando por uma escuderia que está estreando na categoria, Pietro vem tendo sucesso nessa nova fase. A estreia em Spa-Francorchamps não aconteceu exatamente da maneira que esperava, abandonando uma vez, precisando fazer provas de recuperação e completando a segunda bateria em 13º.

Neste fim de semana, o garoto voltou à F-Renault Alps para a rodada de Monza, uma pista onde conhecia apenas por ter participado de testes coletivos.

Embora o desempenho nos treinos livres não tenha sido bom, o piloto não decepcionou. Fittipaldi garantiu a sexta colocação para o grid de largado da primeira prova e – usando o segundo melhor tempo da classificação – ficou em sétimo para a segunda bateria.

Na corrida do sábado, o brasileiro fez uma boa largada e já estava na quarta posição quando sofreu com um problema na caixa de câmbio. Ainda assim, ele foi capaz de terminar a prova em 12º e viu Charles Leclerc, da gigante Fortec, conquistar a primeira vitória na categoria.

O desempenho foi ainda melhor no domingo. Mesmo partindo em sétimo, Pietro novamente ganhou duas posições para completar a prova em quinto, marcando os primeiros pontos no certame. A primeira colocação mais uma vez ficou com Leclerc.

A quinta colocação numa F-Renault Alps talvez não faça jus à importância do resultado. Mas estamos falando de um piloto que competia na Nascar, mudou tudo para os monopostos, foi correr num já decadente automobilismo inglês e resolveu apostar em uma equipe tradicional no Reino Unido, mas desconhecida no resto da Europa para dar os primeiros passos não território continental.

Por isso, não é absurdo dizer que a evolução mostrada pelo neto de Emerson nessas quatro corridas na Alps, competindo contra nomes como o próprio Leclerc, Nyck De Vries, Matevos Isaakyan, Ben Barnicoat, Alessio Rovera, Jack Aitken e outros, é mais importante que os 100% de aproveitamento em Donington Park. Ainda que o desempenho tenha sido imbatível lá, há quem possa questionar a qualidade do feito.

A próxima etapa da F-Renault Alps acontece apenas nos dias 6 e 7 de setembro, em Mugello. Já a versão inglesa do certame volta à pista mais cedo, em 26 e 27 de julho, em Brands Hatch, onde Pietro pode ser considerado uma espécie de especialista na pista.