Treinos da F4 Italiana em Adria

Gustavo Bandeira testou pela DAV
Gustavo Bandeira testou pela DAV

Ao assumir o cargo de responsável da FIA pelas categorias de base, Gerhard Berger se propôs a organizar a casa. Com inúmeros campeonatos em todo o mundo, era difícil para quem começava no esporte a motor saber exatamente onde deveria correr se quisesse chegar à F1 e aos demais certames de ponta.

A primeira medida do austríaco foi dar ênfase na F3 Europeia, o que diminuiu os grids da F3 Alemã e da F3 Inglesa e extinguiu a F3 Italiana. O próximo passo foi arrumar o degrau debaixo, aquele destinado a quem está deixando o kartismo. Nesse momento, o ex-companheiro de Ayrton Senna percebeu que era mais fácil fortalecer os campeonatos nacionais ao invés de criar um torneio continental, mais caro.

Para isso, ele inventou a F4. Em um mercado dominado pelas categorias da Renault, ele entendeu que ter um torneio com regras mais ou menos parecidas em todos os lugares do mundo era uma boa forma de trazer novos talentos e garantir a continuidade.

Mas, apesar do nome, até agora apenas uma F4 segue exatamente o regulamento proposto pela FIA, a Italiana. O campeonato, que começa no mês de junho, substitui a F-Abarth e conseguiu reunir um grid com uma série de pilotos de 14 a 17 anos, dando os primeiros passos no esporte a motor. O primeiro embate entre esses novos talentos aconteceu nesta semana, em Adria, onde a categoria realizou dois dias de treinos coletivos.

E quem levou a melhor foi Robert Schwartzman, que apesar do nome é russo. O piloto de apenas 14 anos cravou o tempo de 1min15s525, no período da manhã, e não foi mais alcançado. Leonardo Pulcini até tentou superar o colega, mas terminou 0s05 atrás, embora tenha sido o mais veloz na parte da tarde.

O curioso é que Schwartzman e Pulcini são velhos conhecidos. Ambos competiram na divisão KFJ do kartismo no ano passado com o russo levando a melhor na Final Cup.

Robert Schwartzman terminou na frente pela Cram
Robert Schwartzman terminou na frente pela Cram

A terceira colocação ficou com Andrea Russo, que apesar do nome é italiano. Vencedor de uma das bolsas dadas pela federação italiana, Mattia Drudi foi o quarto, no segundo carro da Cram, enquanto Lance Stroll, da Academia da Ferrari, completou em quinto.

Único brasileiro confirmado na categoria até agora, Gustavo Bandeira, de 16 anos, terminou as duas sessões no quinto lugar, mas acabou caindo para sexto no tempo combinado. Ainda que esses resultados de agora não signifiquem muita coisa, a participação do brasiliense na F4 é importante.

É que no ano passado Bandeira disputou a F-Junior, aquele campeonato criado no Rio Grande do Sul para que jovens pilotos pudessem dar o primeiro passo no automobilismo. E é necessário para qualquer certame ver seus graduados conseguirem dar prosseguimento à carreira.

Assim, é importante para a F-Junior que Bandeira corra na F4, como também é importante ver Victor Miranda disputando a F3 Brasil, como também é ter Bruna Tomaselli testando na Adac Masters. E sem falar em Gabriel Robe, que mudou para a F-1.6 Gaúcha. Isso mostra que a categoria vai conseguindo encontrar um espaço no mundo do esporte a motor.

Claro que é preocupante ver que o campeão do ano passado, Victor Matzenbacker, ainda não anunciou planos para este ano e Lucas Alves e Rodrigo Elger, que fecharam no top-5, só disputaram uma etapa cada da F-Junior em 2014 e nada mais. Mas isso é algo que o campeonato pode conseguir corrigir para os próximos anos.

Voltando à F4, o top-10 em Adria ainda contou com Ivan Mateev – outro russo –, Alain Valente, Takashi Kasai e Matteo Desideri. Entre os demais competidores, destaque para Keith Camilleri, que defende a primeira equipe de automobilismo da história de Malta, e Sébastian Merchan, testando pela Tatuus, a fabricante dos chassis.

Três pilotos já confirmados na F4 não estiveram nos treinos. Alexandra Zabolotnyaya (russa, claro) está garantida na Euronova, enquanto a Jenzer também terá Ali Al-Khalifa e Lucas-Ayrton Mauron, de 15 anos, que é suíço de origem brasileira. Acho que o Ayrton do nome entrega isso, não?

A temporada 2014 da F4 Italiana começa no dia 8 de junho, no próprio autódromo de Adria.

Confira a soma dos tempos da F4:

tempos adria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s