5 ausências na Stock Car em Interlagos

Felipe Fraga e Rodrigo Sperafico venceram em Interlagos (foto de Duda Bairros/Vicar)
Felipe Fraga e Rodrigo Sperafico venceram em Interlagos (foto de Duda Bairros/Vicar)

Felipe Fraga conquistou um resultado histórico na etapa da abertura da Stock Car, neste domingo, dia 23. Estreando na categoria, o piloto radicado no Tocantins largou da segunda colocação, mas já estava na liderança quando a janela para o pit-stop obrigatório se abriu. A partir daí, coube ao parceiro Rodrigo Sperafico, levar o carro até a bandeirada.

E o paranaense também teve papel importante nessa conquista. É verdade que o bom desempenho de Fraga ao longo de todo o fim de semana foi o que o colocou em posição de vencer, no entanto, a experiência de Rodrigo também foi fundamental.

Enquanto Pato Silva, Jeroen Bleekemolen, Mauro Giallombardo e Mark Winterbottom sofriam para se adaptar ao equipamento no piso molhado, Sperafico já sabia como o carro ia se comportar. Assim, ele pôde acelerar, forçar um pouco mais e garantir o triunfo.

Essa foi a primeira vitória de Fraga na Stock, justamente na estreia – infelizmente a categoria não tem nenhum tipo de histórico ou memória online em que seja possível pesquisar se isso já aconteceu –, mas a terceira de Sperafico. O piloto já havia triunfado duas vezes em 2007, em Curitiba e em Tarumã.

Sperafico foi um dos 33 convidados em Interlagos neste fim de semana, o que deu uma nova cara à corrida. No entanto, mesmo com tantos pilotos a mais, alguns nomes famosos ficaram fora da disputa. Confira cinco ausência nessa primeira prova da Stock Car:

AS5D7032

5) Felipe Nasr

Novo reserva da Williams na F1, Nasr foi um dos primeiros nomes comentados quando a Stock divulgou que a etapa de Interlagos seria disputada em dupla. Fazia todo sentido, o brasilense vem de uma família com décadas de história no automobilismo brasileiro e até alguns anos atrás tinha uma equipe no certame.

Só que as especulações envolvendo Nasr aconteceram em um momento de indefinição na carreira do piloto. Ele tinha perdido o lugar de titular na Sauber em 2014 e ainda negociava para se tornar reserva. Mais tarde, ele não só fechou com a equipe de Grove para andar em alguns testes, mas também vai retornar à GP2 neste ano pela Carlin.

Como a categoria de acesso estava testando na sexta-feira no Bahrein, Nasr não tinha nem como ser cogitado para andar em Interlagos.

Tony Kanaan

4) Turma da Indy

O embrião da corrida em duplas da Stock Car surgiu há dois anos, quando a Corrida do Milhão teve Helio Castroneves, Tony Kanaan, Rubens Barrichello e Rapha Matos como convidados. O sucesso daquela prova fez com que a Vicar pensasse em um jeito de expandir as regras e trazer competidores internacionais.

O objetivo foi cumprido. Mas dessa vez eles não puderam contar com os representantes da Indy. Como a categoria americana começa já no próximo fim de semana, em São Petersburgo, as equipes entendem que o foco já está em 2014, por isso não estavam dispostos há liberar os competidores.

Aqui também pesa o acidente de Helio Castroneves, em Ribeirão Preto em 2013. Embora o brasileiro não tenha se ferido naquela batida, ela serviu para que os times da Indy percebessem que permitir um piloto venha à Stock durante a temporada não é uma boa ideia.

???????????????????????????

3) Miguel Paludo

Bicampeão da Porsche Cup, Paludo competiu nos Estados Unidos nos quatro últimos anos, com o objetivo de ter uma carreira na Nascar. No entanto, o brasileiro acabou ficando sem patrocínio para 2014 e precisou abortar os planos ao menos por enquanto.

Embora Nelsinho Piquet esteja vivendo uma situação parecida e tenha aceitado ser parceiro de Átila Abreu neste fim de semana, Paludo preferiu ficar nos EUA e continuar o trabalho de retornar aos ovais o quanto antes. Uma ausência sentida, claro.

Vale lembrar que o gaúcho disputou algumas provas do GT Brasil antes de mudar de país e teve algum sucesso ao lado de Ricardo Maurício.

100023_1_5

2) João Paulo de Oliveira

Talvez algum dia vamos descobrir por que JP de Oliveira nunca é lembrado nos momentos importantes. Com carreira feita no Japão, o brasileiro já teve experiência na Indy, no WTCC e até mesmo em testes no WEC, mas jamais conseguiu um reconhecimento internacional compatível ao talento que tem.

E também não foi dessa vez que ele pôde voltar a se aproximar da torcida brasileira, já que ficou de fora da corrida de Interlagos. Ao que pese a ausência, ele também passou a última semana testando alguns componentes do novo carro da Nissan para o Super GT.

Chico Longo

1)      Chico Longo

Como assim Chico Longo e Daniel Serra estiveram separados? Deveria haver alguma regra que impedisse isso. Os dois formam uma das duplas mais vitoriosas na história recente do endurance e do GT no Brasil. Levando isso em conta, era essa a grande chance para que o chefão da Via Italia estreasse na Stock Car ao lado do eterno parceiro.

Só que a Red Bull resolveu escolher alguém profissional e trouxe Alessandro Pier Guidi para andar no número 29. A decisão não foi tão ruim, uma vez que eles terminaram com o quinto lugar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s