Melbourne: onde tudo começa
Melbourne: onde tudo começa

É difícil lembrar uma temporada da F1 que tenha sido aguardada com tanta ansiedade quanto a de 2014. Enquanto o campeonato passado se desenrolava para um óbvio quarto título de Sebastian Vettel e da Red Bull, o mercado de pilotos estava agitadíssimo, com mudanças em nove das 11 equipes do grid.

Some-se a isso o inverno movimentado com as escuderias descobrindo os limites da profunda mudança de regulamento, os problemas da Red Bull e o anúncio da volta da Martini à F1 como patrocinadora, e podemos dizer que os últimos meses foram mais emocionantes que as próprias últimas etapas do campeonato passado.

Agora está na hora de colocar tudo isso para trás. Ansiedade, expectativa e carro bonito não vencem corrida, e as 11 equipes da F1 começam nesta sexta-feira, dia 14, a disputa da temporada 2014.

E o GP da Austrália se mostrou, ao longo do tempo, um bom lugar para se iniciar um campeonato. Localizado no meio do Albert Park, em Melbourne, o circuito australiano tem a peculiaridade de ser usado apenas uma vez por ano, justamente quando a F1 está na cidade.

Daniel Ricciardo estreia pela Red Bull na Austrália
Daniel Ricciardo estreia pela Red Bull na Austrália. Digo, não estreia exatamente na Red Bull, mas é na Austrália, entende?

Assim, os pilotos podem esperar encontrar um asfalto sujo nos primeiros treinos livres, o que pode atrapalhar a avaliação dos pneus. Outra característica do Albert Park são os muros muito próximos do asfalto, o que não costuma perdoar os erros dos competidores. Além disso, a expectativa é para um domingo de chuva na Austrália, e tudo isso sem falar na primeira curva que volta e meia acaba sendo palco de acidentes na largada.

Com todos esses ingredientes, a corrida australiana acaba tendo resultados surpreendes, basta lembrar que o vencedor do ano passado foi Kimi Raikkonen. Como o número de abandonos na primeira corrida do ano também é maior, existe sempre a expectativa das equipes menores de pontuar. A Minardi era especialista em se dar bem nessas situações, Caterham e Marussia ainda não conseguiram dar o bote.

Mas, falando no grid neste ano, quem chega à Austrália como favorita é a Mercedes. Depois de terminar 2013 como vice-campeã, a escuderia alemã continuou a desenvolver o equipamento e foi quem teve o desempenho mais regular ao longo da pré-temporada. No entanto, como já dito, nem sempre a corrida de Melbourne tem o resultado mais previsível.

Atual campeã, a Red Bull vive um cenário interessante. Se antes era a equipe a ser vencida, agora a escuderia austríaca torce para tentar vencer alguém. Por problemas na concepção do RB10, a tetracampeã praticamente não conseguiu andar nos treinos coletivos na Espanha e no Bahrein e agora nem sabe se vai conseguir chegar ao fim da corrida no Albert Park.

E esse é o grande o ponto de interrogação quanto aos rubro-taurinos. Ninguém sabe se o carro deste ano é competitivo. Como eles tiveram diversos problemas no inverno, não há um parâmetro. Só que treino é treino e corrida é corrida. Ou seja, eles não precisam criar um equipamento que não quebre nunca, e, sim, que aguente os cerca de 100 minutos de uma prova.

Quando a Red Bull não teve problemas durante o inverno, ela se mostrou competitiva, andando no top-3. E é um desempenho assim que podemos esperar neste fim de semana.

A nova Williams é cercada de expectativas
A nova Williams é cercada de expectativas

Ainda falando sobre os treinos coletivos, a McLaren foi a equipe que começou melhor, depois teve um momento de brilho da Force India, enquanto a Williams terminou com força. Em comum, as três equipes são movidas pelo motor Mercedes e não foram capazes de manter o mesmo desempenho ao longo das três semanas de atividade.

Assim, as três começam 2014 cheias de esperança. Elas já mostraram que tem um carro rápido – ao menos para marcar pontos – e podem beliscar um resultado melhor conforme o fim de semana se desenrolar.

O mesmo pode ser dito de Felipe Massa. Como a Williams está cercada de expectativas pelo anúncio da Martini e pelo bom desempenho até agora, o brasileiro já foi apontado como um dos favoritos à vitória em Melbourne. Evidentemente, sempre pode ter uma ação do imprevisível, e o piloto terminar na frente, mas é improvável.

Após o fracasso no último ano, a Williams passou por um longo processo de reestruturação e já vem mostrando sinais de resultado. Mas por enquanto é só isso. Se eles forem competitivos e conseguirem lutar por pontos já podem se dar por satisfeitos. Pódio, então, já seria transformar um sonho em realidade. Mas isso também não quer dizer que o time não possa almejar objetivos mais ambiciosos em 2014, só que é melhor dar um passo de cada vez.

Por isso, a minha aposta para o GP da Austrália é vitória de Fernando Alonso, com Lewis Hamilton e Sebastian Vettel no pódio. Escolho o espanhol porque a Ferrari quase não teve problemas nos primeiros meses e a equipe italiana sempre é muito veloz em ritmo de corrida. Mas obviamente acabei de prejudicá-los, e o vencedor será Max Chilton. E qual é a sua aposta? Deixe-a nos comentários!

Confira os horários do GP da Austrália de F1:

Treino livre 1, quinta-feira, 22h30
Treino livre 2, sexta-feira, 2h30
Treino livre 3, sábado, meia-noite
Treino classificatório, sábado, 3h
Corrida, domingo, 3h