Carlos Sainz Jr foi o mais rápido em Aragón
Carlos Sainz Jr foi o mais rápido em Aragón

Não foi apenas a F-Renault Europeia que esteve na pista nesta última semana em Aragón. Quem também andou testando no circuito espanhol foi a irmã mais velha, a World Series by Renault, que conta com um grid com pilotos muito mais experientes e de olho em repetir o sucesso de Kevin Magnussen, o campeão do ano passado e novo titular da McLaren na F1.

Falando em Magnussen, com a saída do dinamarquês, com a graduação de António Félix da Costa ao DTM e a transferência de Stoffel Vandoorne para a GP2, a World Series vive um ano de transição em 2014. Afinal, os nomes que dominaram o certame nas últimas duas temporadas foram embora.

Isso abriu espaço para que novos pilotos aparecessem, como Pierre Gasly e Oliver Rowland, que disputaram o título do ano passado da F-Renault. E, em Aragón, a dupla voltou a mostrar um bom ritmo. Enquanto o francês foi o mais rápido na última das seis sessões de pista, o britânico liderou os treinos na tarde do primeiro dia.

Mas quem acabou na frente na classificação geral foi Carlos Sainz Jr. Depois de perder a vaga na Toro Rosso para Daniil Kvyat, o espanhol é o principal nome do Red Bull Junior Team em 2014. E para confirmar a confiança depositada pela fabricante de energéticos, o piloto terá à disposição o mesmo carro da Dams que levou Magnussen ao título do ano passado.

Nesse primeiro ensaio, as coisas saíram conforme o planejado, e Sainz superou Rowland por Blink 0s182. Só que as coisas não foram tão tranquilas para o espanhol. Embora tenha dominado o segundo dia de treinos – quando as condições de pista eram melhores –, o piloto teve um desempenho de altos e baixos. Mais rápido no geral, ele amargou apenas o 13º posto na primeira sessão e foi o nono na última.

Rowland também foi outro que não teve muitos motivos para comemorar o segundo lugar. Apesar de ter marcado o tempo logo na segunda sessão, ele ainda somou um 16º, um 17º e um 23º lugares (tendo enfrentado problema neste último), em Arágon.

Por outro lado, quem não pecou pela regularidade foi o outro piloto da Fortec, Sergey Sirotkin. Após aquela novela envolvendo a ida para a F1, o russo acabou ficando na World Series by Renault para mais uma temporada – também assumindo o posto de reserva na Sauber – e não fez feio. De todos os pilotos, ele foi o único que terminou todas as atividades no top-5, incluindo tendo liderado duas delas. No final, ficou com a terceira posição no combinado.

Pietro Fantin esteve sempre entre os mais velozes
Pietro Fantin esteve sempre entre os mais velozes

Pierre Gasly, o outro piloto do Red Bull Junior Team, foi o quarto. Ao contrário de Sainz, a regularidade não foi um problema para ele. Salvo um décimo lugar na primeira ida à pista, o francês fechou as demais sessões entre os quatro primeiros, com dois segundos lugares e tendo sido o mais veloz no último dia.

Desempenho parecido teve o brasileiro Pietro Fantin, que completou todas as seis sessões no top-6. Ainda que não tenha brigado pela liderança no geral, o paranaense sempre esteve presente entre os ponteiros, assim como já havia acontecido nas atividades privadas em Paul Ricard.

Como eu já escrevi aqui, esse ano é bastante importante para que Fantin recupere o bom momento da carreira. Ele surgiu muito bem na F3 Inglesa há três anos, mas enfrentou tempos difíceis em 2012 e 2013 quando competiu por Carlin e Arden Caterham, respectivamente, mas não tinha a atenção das equipes. É a chance de ele provar o que pode fazer.

O top-10 em Aragón ainda teve William Buller, Will Stevens, Nigel Melker, Norman Nato e Nikolay Martsenko. Outros detalhes da atividade foram a presença de Tom Dillmann e Roberto Merhi, que parecem buscar uma vaga na World Series by Renault depois de terem as portas fechadas na GP2 e no DTM, respectivamente. São bons nomes que, caso disputem a temporada completa, não devem demorar a estar brigando na frente.

Falando nisso, assim como é na F1, os treinos da pré-temporada geralmente não dizem muito o que pode acontecer durante o campeonato. Basta lembrar que a Lotus Charouz foi a equipe dominante nos últimos dois invernos, mas a gente praticamente não os viu na pista no restante do ano.

A World Series agora faz uma pausa e volta à pista na segunda metade de março, em Jerez. A expectativa para essa segunda atividade é que o grid esteja completo, já que a Carlin não viajou até a Espanha por ainda não ter definido os pilotos para o campeonato. A ISR também só teve um carro.

Confira os tempos de Aragón:

tempos WS