Felipe Nasr na Williams

Felipe Nasr pilotou um F1 pela primeira vez
Felipe Nasr pilotou um F1 pela primeira vez

Enfim Felipe Nasr finalmente conseguiu pilotar um carro de F1. Com um atraso de quatro anos, o brasileiro participou do último dia de atividades coletivas no Bahrein, neste domingo, dia 22, pela Williams, escuderia da qual será piloto reserva e de testes em 2014.

Era para Nasr já ter estreado em 2010, pela BMW Sauber, como prêmio por ter sido campeão da F-BMW Europeia no ano anterior. No entanto, o brasiliense deu azar, e a montadora alemã acabou abandonando a categoria naquele momento por causa da crise econômica global. Assim, o brasileiro precisou esperar até agora para poder subir em um dos cobiçados carros.

Nesse tempo, o piloto passou pela F3 Inglesa – sendo campeão em 2011 – e disputou a GP2 por duas temporadas. Não foram poucas as vezes, nesse período, que Nasr precisou responder em entrevistas sobre pilotar um F1. O brasileiro, porém, sempre preferiu desconversar, garantindo que o foco estava no aprendizado e principalmente no título das categorias de base.

Agora a situação mudou, e Nasr chegou à F1. Quer dizer, está em vias de chegar. Até porque gente como Bruno Junqueira, Max Wilson, Gil de Ferran, Tony Kanaan e Mario Haberfeld também treinou pela categoria, mas jamais conseguiu participar de um GP e foi obrigada a seguir carreira em outros certames do mundo.

O brasileiro deve correr na GP2 também
O brasileiro deve correr na GP2 também

Enquanto está acertado para participar de cinco treinos livres em sextas-feiras, além de três sessões coletivas na metade da temporada, o brasileiro também já indicou que deve voltar à GP2 e competir por mais um ano em busca do título que escapou em 2013.

Esse retorno ao campeonato de acesso é o de menos. Por pior que seja a temporada, isso não vai comprometer as chances de alcançar uma vaga de titular em 2015. Basta ver que Marcus Ericsson, favorito absoluto ao título do ano passado, terminou apenas na sétima colocação e mesmo assim garantiu uma vaga na Caterham.

Ou seja, para Nasr se tornar titular da F1 depende muito mais da movimentação do mercado de pilotos que do desempenho nas pistas.

Naturalmente, a melhor chance para se tornar titular é na Williams, para onde está levando o patrocínio do Banco do Brasil. A equipe inglesa, no entanto, tem Felipe Massa amarrado a um longo contrato e aposta bastante no desenvolvimento de Valtteri Bottas. Mesmo assim, a gente já deve começar a ouvir durante a temporada especulações sobre substituição no plantel para acomodar o brasiliense, de uma forma parecida com aquela que Bruno Senna sofreu há alguns anos.

Para fechar com outra equipe, o brasileiro também tem alguns pontos positivos. Além do patrocínio do Banco do Brasil, ele ainda pode levar um currículo competitivo nas categorias de base – dois títulos e ainda o que acontecer neste ano na GP2 – e o fato de ter superado Kevin Magnussen quando os dois foram companheiros de equipe na Carlin, na F3 Inglesa. E esse tipo de confronto direto é algo que ainda tem peso na F1 de hoje.

P.S.: há algum tempo eu escrevi aqui no World of Motorsport uma retrospectiva da temporada de Felipe Nasr na F-BMW Europeia, quando ele surgiu para o automobilismo mundial. Basta clicar aqui para relembrar.

Anúncios

Um comentário sobre “Felipe Nasr na Williams

  1. “Era para Nasr já ter estreado em 2010, pela BMW Sauber, como prêmio por ter sido campeão da F-BMW Europeia no ano anterior. No entanto, o brasiliense deu azar, e a montadora alemã acabou abandonando a categoria naquele momento por causa da crise econômica global.”

    O azar do Nasr foi uma gota de agua no oceano em comparaçao com o azar do Bruno Senna, tambem na sequencia da crise economica global. A Honda ter abandonado no final de 2008 impediu o brasileiro de entrar na F1 na altura certa e com o carro certo, impedindo-o de chegar no melhor da sua forma, o que lhe teria permitido firmar-se na F1 pelo talento. Um talento pelos vistos ate superior ao do Nasr, pois na GP2 fez mais com menos em comparaçao com o brasiliense. Fez mais porque ganhou corridas, com menos porque tinha muito menos experiencia, por ter perdido muitos anos de formaçao antes de ir para a F BMW inglesa em finais de 2004.

    Resumindo e concluindo: enquanto Bruno Senna precisou de muito azar para passar ao lado de uma boa carreira na F1, Felipe Nasr precisa de um golpe de sorte para fazer alguma coisa na categoria maxima. Nao que nao seja capaz, ate sera, so que nao vejo como podera ser promovido a titular. Massa tem contrato por alguns anos e Bottas e visto como futuro campeao. A Williams nao vai querer perde-lo depois de investir tanto no finlandes nos ultimos anos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s