Euroformula 2014 (antiga F3 Espanhola)

Yarin Stern começou na frente na Euroformula
Yarin Stern começou na frente na Euroformula

O calendário das categorias de base na Europa é um pouco diferente da F1. Enquanto o principal campeonato do automobilismo mundial dá início à nova temporada no começo do mês de março, os aspirantes a pilotos precisam esperar geralmente até meados de abril para poder ir à pista.

Isso se reflete também na pré-temporada. Desde o fim de janeiro, a F1 já começou com os primeiros testes. Por outro lado, os certames menores ainda estão acertando quem vai correr por cada equipe.

Quem quebrou um pouco essa regra foi a Euroformula, a antiga F3 Open, também conhecida como antiga F3 Espanhola. O campeonato foi à pista no último fim de semana, em Jerez de la Frontera, dando o pontapé inicial para o novo ano.

Antes de falar o que aconteceu na pista, a categoria ganhou destaque nos bastidores. Tudo por causa de uma polêmica medida da FIA, que visa restringir o uso da palavra ‘F3’. A entidade quer que apenas os campeonatos chancelados por suas regras – ou seja, a F3 Europeia e a F3 Japonesa – possam continuar sendo chamados assim. Com isso, F3 Inglesa, F3 Alemã, F3 Cup, F3 Austríaca, F3 Brasil, F3 Chilena e F3 Australiana vão precisar jogar a tradição fora e buscar um novo nome.

Enquanto os organizadores do certame inglês e do alemão estão tentando demover essa ideia da FIA, os mandachuvas da F3 Open resolveram não polemizar e já anunciaram a mudança do nome do campeonato para Euroformula. De qualquer forma, isso não resolve 100% o impasse, já que todo mundo vai continuar a chamá-lo de ‘antiga F3 Espanhola’.

Mudar o logo não foi o problema para a Euroformula
Mudar o logo não foi o problema para a Euroformula

Aliás, mesmo com toda essa mudança na nomenclatura, a Euroformula já teve dois brasileiros campeões. Em 2003, Ricardo Maurício fechou um acordo com a equipe Racing Engineering com a promessa de que, se fosse campeão, seria promovido a uma vaga na F3000, onde poderia voltar a brigar para tentar chegar à F1. O piloto ficou com o título, mas foi obrigado a retornar ao Brasil.

Oito anos mais tarde, em 2011, Fabio Gamberini disputou a divisão Copa do campeonato, com um equipamento defasado. Mesmo assim, ele ficou na briga pelo título até as últimas etapas. Apesar de a taça na classificação geral ter ido para o suíço Alex Fontana, o brasileiro terminou em terceiro na tabela, garantindo o caneco entre os carros da Copa.

Quem pode repetir o desempenho de Maurício e de Gamberini em 2014 é Henrique Baptista. Depois de cursar faculdade na Inglaterra, o brasileiro retomou a carreira no automobilismo há dois anos, na F-Renault Inglesa (Barc), e agora decidiu avançar à F3 ao acertar com a equipe italiana DAV.

A estreia do brasileiro no novo time acontece nos dias 1 e 2 de março, quando a Euroformula volta à pista, em Paul Ricard, para a segunda sessão de treinos coletivos. Para essa atividade, ele terá a companhia do veterano Hector Hurst.

Henrique Baptista vai correr pela DAV
Henrique Baptista vai correr pela DAV

O problema para Baptista será enfrentar pilotos que já estão acostumados com o equipamento, afinal a categoria já treinou em Jerez. E quem saiu na frente nesse primeiro ensaio foi o israelense Yarin Stern. Depois de surpreender no ano passado ao terminar em oitavo, na primeira temporada após o kartismo, o piloto assinou com a West-Tec para esse ano e já aparece entre os favoritos.

Outro destaque dos treinos na Espanha foi Beitske Visser. Dispensada pelo programa de pilotos da Red Bull no fim do ano passado, a holandesa não se abateu e foi um dos grandes nomes da atividade ao marcar a melhor volta em quatro das oito sessões de pista, mas sendo superada por Stern no combinado.

Praticamente estreando no campeonato, o austríaco Christopher Höher, de 16 anos, foi o terceiro colocado, seguido por Alex Palou, espanhol que também acabou de deixar o kartismo. Ou seja, apesar de os primeiros treinos geralmente não significarem muita coisa, ao menos a Euroformula vem mostrando que pode ser uma alternativa à nova geração de pilotos.

Confira os tempos em Jerez:

tempos Euroformula

Um comentário sobre “Euroformula 2014 (antiga F3 Espanhola)

  1. Esses dirigentes inventam cada uma, você sabe se o Berger ainda é responsável pelas categorias escola?
    Achei legal descobrir a F3 chilena, nem sabia que existia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s