F1 Marussia 2014 MR03
O novo carro da Marussia também camuflou o dedo no bico

A quinta-feira, dia 30, em Jerez de la Frontera foi bastante movimentada no terceiro dia de treinos coletivos da F1. Enquanto a Red Bull já empacotou as coisas e resolveu voltar à fábrica de Milton Keynes para tentar corrigir os problemas no carro, quem apareceu na pista espanhola foi a Marussia.

Por causa de uma falha técnica de última hora, o time russo foi obrigado a perder dois dias de atividades. E é claro que essa situação também levou a piadas do tipo “o carro é tão ruim que levou dois dias para chegar” ou então “a culpa foi de Max Chilton, que pediu para guiar o caminhão da equipe.”

Entretanto, a Marussia entende melhor do que ninguém que o mais importante nesse começo de trabalho é a confiabilidade do equipamento, e não apenas o desempenho. A maior prova disso é que o time viu Chilton terminar todas as provas do ano passado – o único piloto do grid a fazer isso – e sabe que os primeiros dias de testes são fundamentais para resolver pequenos problemas e poder, ao menos, repetir essa performance.

Por isso, o time não perdeu tempo e não fez uma apresentação formal do MR03. Pelo contrário, o bólido foi logo à pista nesta quinta com o piloto britânico.

E, apesar desse rápido primeiro contato diante das câmeras, algumas das soluções da Marussia para a nova temporada da f1 já puderam ser vistas.

Assim como a maior parte do grid, a equipe russa traz aquele dedo na frente do bico do carro para se chegar à altura de 18,5 cm determinada pelo regulamento. No entanto, como toda a parte da frente do MR03 é bastante sólida, a equipe conseguiu fazer o dedo curto, o comprometendo ao mínimo a passagem do ar. A cor preta ainda serve para esconder ainda mais o apêndice.

F1 Marussia 2014 MR03
Esteticamente, o formato da nova Marussia é bem bonito

O curioso da Marussia é que a carenagem na parte da frente, do bico ao monocoque, é simples, sendo praticamente reta e sem recortes, e longa.

Outro detalhe do MR03 é com a preocupação para refrigerar o novo motor turbo e o sistema de recuperação de energia. Além dos sidepods, o time ainda ampliou o tamanho da entrada de ar localizada no santantônio, além de ter feito alguns pequenos furos na barbatana da tampa do motor.

Conhecida por ser uma equipe que não incomoda ninguém, a Marussia tem parcerias tanto com Ferrari quanto com McLaren. Assim, apesar de o time usar a caixa de câmbio desenvolvida em Maranello, ela conta com uma asa traseira feita junto com os engenheiros de Woking, com o mesmo Y invertido da McLaren, que serve para direcionar os gases expelidos pelo escapamento para a asa traseira.

Com essas novidades, a Marussia sabe que terá um longo trabalho em 2014. Por causa das várias mudanças nas regras, o time terá dificuldades para repetir o desempenho invicto de Chilton no ano passado. Quanto a somar pontos, talvez essa tarefa esteja mais ligada à confiabilidade dessa vez.

Se o carro não é bom o bastante para terminar entre os dez primeiros, então apostar para abandonos dos rivais pode ser uma boa opção.

Para a análise do conservador Red Bull RB10, clique aqui. Você pode clicar aqui para ver a minha análise do novo carro da McLaren, o MP4-29. A nova Ferrari F14 T está aqui. Já a Sauber C33 está neste post, clicando aqui. E você pode ver o Toro Rosso STR9 aqui. O novo carro da Mercedes, o W05, está aqui. Para ver os novos carros de Force India, Williams e Caterham basta clicar aqui.